3 de maio de 2019

Desafio Retratos Literários 2019: Seduzidos pelas Capas


Agora em abril rolou lá pelo instagram o desafio Retratos Literários, que organizo, já pelo terceiro ano, com a Tábata, do Randomicidades. Foi o mês inteiro de fotografias de livros, gente compartilhando suas leituras, comentando e trocando figurinhas. É bem divertido, tanto pelas interações e novos títulos descobertos quanto pelas tentativas de fazer algo diferente com cada foto, buscando referências de objetos e ambiente quando possível.

Enfim, quem me acompanha por viu as fotos à medida que iam sendo postadas. Cá no blog, além das imagens, também tem os links das resenhas, caso eu já tenha escrito uma (basta clicar no nome deles, na parte da descrição). Então, vejamos se meu book artístico de imagens de livros ficou legal, hum?



Dia 01. O que você está lendo? || Comecei Contos de Fadas em suas Versões Originais no fim de março e já fiquei apaixonada. O projeto gráfico é de encher os olhos e há uma boa diversidade nos contos escolhidos - incluindo vários que eu não tinha visto traduzidos em português. Muitas das histórias me eram familiares (incluindo a versão de pesadelos de A Bela Adormecida), mas é bom ter tudo assim, reunido num só lugar. Apoiei o projeto da Editora Wish pelo Catarse, que incluía Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos (li ele primeiro). Em breve haverá resenha de ambos cá no blog.

Dia 02. Epígrafe || Lembro-me nitidamente de quando abri Stardust do Neil Gaiman pela primeira vez e dei de cara com esse poema-epígrafe. Isso porque esse mesmo poema é o feitiço sobre o Howl, em O Castelo Animado, da Diana Wynne Jones e eu adorei a ideia de dois dos meus livros favoritos estarem assim conectados...

Dia 03. Epistolar || Já conhecia A. S. Byatt de outros livros e ouvira falar que Possessão era sua melhor obra. Mas acho que foi quando vi menções ao filme - por causa da atriz que fez a série de 1995 de Orgulho e Preconceito - que realmente decidi ir atrás do livro. Ele é um misto de investigação, romance e teorias literárias, acontecendo a dois tempos, o passado conduzido pelas cartas e poemas e o presente, numa narrativa mais tradicional. Embora às vezes a leitura tenha sido um pouco cansativa nesse ir e vir, no geral, gostei muito do livro.

Dia 04. Publicado de forma independente || Tinha várias opções por aqui, porque gosto de apoiar o pessoal no Catarse ou comprar em eventos direto do artista. Acabei escolhendo Clara Carcosa, que achei uma HQ primorosa e me deixou com vontade de visitar o lugar que inspirou parte da história. A Juliana Fiorese está inclusive com um novo projeto, uma adaptação do poema Lenora, do Edgar Allan Poe e claro que já coloquei meu nome lá na campanha de financiamento coletivo.

Dia 05. Em outro idioma || Essa edição completa dos romances de Austen em francês foi um presente da Claire, do Jane Austen Lost in France e é uma coisa linda de se ver! Austen, por sinal, é a autora de que mais tenho edições em outras línguas: tem dela aqui em português (claro), inglês, francês e alemão.

Dia 06. Poesia || "E quando começarem a acontecer, / não esquente. Não fique preocupado. / Siga em frente, as melhores coisas / acontecem de um jeito inesperado." Eu adoro esse livro. Adoro o ritmo dele, a forma como ele fala de forma tão lúdica e tão verdadeira sobre a vida, como ele deseja o melhor sem esquecer as dificuldades. Ah, os lugares aonde você irá! do Dr. Seuss é um livro perfeito para dar de presente para alguém que está começando uma jornada - quer seja um nascimento, uma formatura, uma grande aventura.



Dia 07. Da sua área profissional || Cogitei fotografar algum código comentado ou algum dos muitos volumes de direito da saúde na minha mesa - área com que efetivamente trabalho no dia a dia - mas acabei me decidindo por Mil Vezes mais Justo, uma coletânea de ensaios sobre Shakespeare sob o ponto de vista jurídico. Embora minha formação não seja em Letras, a literatura é uma parte importante da minha vida e das minhas responsabilidades; seja no blog, seja no clube do livro. Achei justo, portanto, escolher um livro que une o Direito à Literatura para o tema de hoje.

Dia 08. Releitura || Esse tema tanto pode ser interpretado como um livro que reli como uma história que é uma versão de outra história. Escolhi o segundo significado e o premiado romance de Victor Lavalle A Balada do Black Tom, que é uma releitura (e também uma crítica) do conto de Lovecraft O Horror em Red Hook. Eu ainda não li, mas esse livro está na minha lista para esse ano do desafio corujesco.

Dia 09. Escrito na prisão || Pensei muito em qual título escolher para esse tema e acabei me decidindo por Graciliano Ramos e suas Memórias do Cárcere. Esse é outro que não li ainda, embora esteja na lista. Já ouvi falar bastante dos bastidores de publicação dessas memórias e sinto-me bem curiosa em relação a ela.

Dia 10. Dedicatória || Gosto muito de receber livros com dedicatórias. Esse Peter Pan foi um presente de aniversário e uma das minhas dedicatórias favoritas na estante. Quem me presenteou ele foi a Virgínia, que era gerente de eventos da livraria em que o clube do livro costumava se reunir. A gente se conheceu por causa do clube e ela deu a maior força para nosso projeto.

Dia 11. Escrito e ilustrado pelo autor || As aquarelas de Saint-Exupéry são tão famosas quanto o texto do clássico O Pequeno Príncipe. Como resistir a colocá-lo no tema de hoje?

Dia 12. Livro de referência || Poderia interpretar o tema de muitas formas... Acabei me decidindo pelo mais literal deles: não existe um melhor livro de referência que um dicionário; no caso, o Brewer's Dictionary of Phrase and Fable, que Pratchett indicava como uma de suas ferramentas mais importantes de trabalho e inspiração. Sim, eu comprei esse livro por causa do Pratchett. Não, ainda não li, mas já folheei e achei fantástico.



Dia 13. Uma capa roxa || Quase não encontrei na estante uma capa que coubesse nesse tema: ficava na dúvida se era roxo mesmo ou um tom de rosa meio puxado pro roxo, mas no fim me decidi por Everything and the Moon da Julia Quinn (mais lilás que roxo, mas tá valendo...). Eu adoro essas capas britânicas dos romances da Quinn, com as ilustrações fofinhas em vez das capas tipicamente Harlequin desse tipo de romance. Nada contra as clinch covers, mas é uma questão de preferência...

Dia 14. Grifar ou não grifar, eis a questão || A inspiração aqui é hamletiana, porque meu senso de humor adora essas referências e trocadilhos... Mas, respondendo... Bem, sim, eu grifo, escrevo nas margens, uso post-its... Não é todo livro que faço isso e nunca grifo de caneta, mas livros de referência - como esse volume de ensaios do C. S. Lewis, Sobre Histórias - muitas vezes acabam cheios de observações rascunhadas nas margens. O marcador - obra da @dbyangel - é uma ilustração das novas edições com aventuras de Tiffany Aching; poderia ser Nárnia, por causa do autor, mas os livros infantis do Pratchett resumem muito bem pra mim o que Lewis diz nessa passagem grifada da foto.

Dia 15. Uma viagem || A Última Canção de Bilbo é um poema de Tolkien sobre a derradeira jornada de um de seus mais queridos heróis. Esse livrinho é belissimamente ilustrado, um pequeno tesouro para ter na estante.

Dia 16. Bustos || Podia ter escolhido um livro em que a capa tivesse bustos... Ou então colocado aqui o conto de Sherlock Holmes sobre os seis bustos de Napoleão... Mas minha escolha vai para Shakespeare e o busto do bardo que de fato tenho na minha estante, acompanhado de Júlio César, que foi uma das peças que tive o prazer de ver no palco. Minha estante é cheia de estatuetas ou bonequinhos de autores e personagens...

Dia 17. Lido na adolescência || Um Estudo em Vermelho, a primeira aventura de Sherlock Holmes, foi indicação de leitura nos meus tempos de escola. Eu tinha 13 pra 14 anos quando o li e foi meu primeiro contato com livros policiais. Ele está na lista de releituras desse ano, vez que teremos debate do clube do livro sobre ele em agosto.

Dia 18. Um pouco de magia || Poderia ter ido pelo óbvio aqui... Seria bem fácil... Mas decidi uma magia mais sutil. O jardim de O Jardim Secreto não tem poderes propriamente ditos, mas exerce uma magia especial tanto nos personagens - Mary e Colin vêm à mente - quanto no leitor. Só descobri o livro adulta, mas o filme fez parte da minha infância. Vivo na expectativa de encontrar uma bela edição de A Princesinha para juntar a ele, já que ambos são da mesma autora. Faz parte da minha série 'livros que queria ter lido quando criança'.



Dia 19. Do seu autor favorito || Tenho muitos autores favoritos, mas pressionada a escolher só um, não tem como não falar do Pratchett. Então, pra hoje, vamos de Estranhas Irmãs, o primeiro livro que reúne as bruxas do Lancre, sendo uma deliciosa paródia de Hamlet e Macbeth. Tirar esse livro da prateleira me deu vontade de fazer um projeto do tipo 'relendo todos os livros do Pratchett'. Oh, crivens!

Dia 20. Fantasmas || Gostei muito de A Noiva Fantasma, especialmente por apresentar um folclore/mitologia que não conhecia. Esse ano, a Netflix anunciou que está produzindo uma série inspirada na história. Estou bem curiosa para assistir, deve ter uma fotografia linda, considerando a beleza e estranheza do universo da história.

Dia 21. O favorito de 2018 || Leve-me com você é um livro sobre luto e jornadas que, coincidentemente, li enquanto começava uma jornada pessoal de despedida... É uma história tocante que me achou na hora e no lugar certos e, por isso, tornou-se o favorito de 2018

Dia 22. Viagens espaciais || Vamos de Crônicas Marcianas do Ray Bradbury! Foi um dos primeiros títulos do Bradbury que eu li, não conhecia o autor direito e eu tinha uma expectativa de que ele seria algo mais típico em termos de sci-fi. Mas não há nada de típico em Bradbury. Os contos desse livro te deixam tonto, pulam de um gênero para o outro, às vezes parecem te dar um soco no estômago. E, no final, descobri que puxar seu tapete e te deixar tentando adivinhar o que acontecerá a seguir e fazer exatamente o que você não espera é o modus operandi do autor, que se tornou rapidamente um dos meus favoritos.

Dia 23. Distopia || Distopias tendem a ser livros meio deprimentes, mostrando o que há de pior na humanidade... Escolhi Estação Onze por sair dessa norma: não é que sejam tudo flores, mas há um tom de esperança e força através da arte. Afinal, boa parte da ação acontece seguindo uma companhia itinerante de teatro! É um ponto de vista bem diferente e foi isso que fez com que eu me apaixonasse por essa história.

Dia 24. Vitoriano || Dos muitos autores do período que me vêm à cabeça, Oscar Wilde me parece a epítome da era vitoriana. Estou lendo agora O Retrato de Dorian Gray e não tinha como não puxá-lo para esse tema...



Dia 25. Uma capa que você não gosta || não é que eu odeie essa capa de E o Vento Levou, mas sim que eu acho que ela não aproveita o potencial da história... Esse é outro dos livros que estão na lista para ler esse ano. Já tentei começá-lo umas duas vezes em anos anteriores, e cheguei a terminar a primeira parte, mas sempre me bate uma raiva tão grande da Scarlett O'Hara que acabo parando... Mas, se tudo der certo, desse ano não passa.

Dia 26. Contém piratas || A Princesa Prometida contém isso e muito mais! Adoro tanto o filme quanto o livro! Mas confesso que a razão pelo qual esse livro me veio imediatamente à mente não é pelo 'dread pirate Roberts', mas pelo mais famoso dos espadachins: "Meu nome é Inigo Montoya. Você matou meu pai. Prepare-se para morrer".

Dia 27. De receitas || Tem um monte desses lá em casa, mas esse da Dani Noce tem uma capa tão linda e o título - Por uma Vida mais Doce - chega aquece o coração. Tenho acompanhado o programa dela no GNT, o Credo, que Delícia, e engasgo de tanto rir com as loucuras dele...

Dia 28. De estimação || Adoro Gaiman e entre os muitos excelentes livros dele, O Livro do Cemitério é meu favorito! Um sonho: ver uma adaptação dessa história - e acho que o Tim Burton seria um diretor perfeito para se encarregar dela.

Dia 29. Clube do Livro || Tanto poderia ser um livro que fala de clubes de leitura (e há vários nesse sentido) quanto poderia ser um livro lido num desses clubes. Como faço parte de um, minha escolha fica com o último livro que debatemos, o clássico Mulherzinhas, de Louisa May Alcott.

Dia 30. Leituras do Mês || como viajei na última semana de Abril e essa era a única foto que eu não tinha como tirar antecipadamente, acabei me atrapalhando e só agora completei o desafio (mas completei e isso é o que importa!). Na foto estão apenas os livros físicos que li esse mês; ebooks e audiobook ficaram de fora.

Então, é isso... Ano que vem temos mais Retratos Literários! Agora já tenho outro evento para começar a organizar: no sábado o blog completa dez anos de existência! O que virá por aí?


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog