5 de junho de 2019

Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos


O vale e a montanha se alternavam em bela sucessão sob o céu azul da Noruega de milhares de anos atrás, assim como o fazem hoje, e a Corrente do Golfo fluía então como agora, passando pelas costas escarpadas; mas era uma terra muito diferente. Nas florestas densas, nenhum machado tinha sido ouvido contra os fortes troncos que os rios noruegueses carregariam para o mar, para flutuarem até o futuro como nobres navios sobre o coração do oceano; nas baías protegidas, nenhuma casa aninhada com cercanias caprichosamente cuidadas com jardins e campinas; nenhum barco ainda singrava o mar com redes e equipamento de pesca. Os homens ainda não tinham pensado nesta bela terra ao norte como morada.

Desde que vi o primeiro anúncio da campanha no Catarse para publicação de Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos, fiquei de olho grande. Interesso-me bastante por esse tipo de história, bem como pela mitologia e folclore nórdicos e a editora prometia alguns contos raros e nunca traduzidos cá no Brasil. Para além do conteúdo, o projeto gráfico era coisa de encher os olhos. Resultado: apoiei a campanha no primeiro dia.

Diz a sabedoria popular que quem vê cara não vê coração… mas, no caso dessas edições da Wish, tenho de dizer de cara que a beleza e o apuro do projeto casam com um excelente conteúdo. Capa dura, ilustrações clássicas de vários artistas, papel, fontes e cores utilizadas, tudo isso se combina com prefácio de especialista no assunto, biografias dos autores que fazem parte da coletânea e traduções feitas diretamente das línguas originais dos contos. Esses extras informativos, aliás, são excelente ferramenta de pesquisa, uma razão a mais para investir na coleção.

Como apoiei o projeto na fase de financiamento, vários outros brindes fizeram parte do pacote - alguns dos quais, creio, não estão mais disponíveis mesmo para quem compra o livro direto à editora -: uma revistinha com mais informações sobre o livro, ilustradores, influência das histórias sobre Tolkien e até receita; postal, marcadores, ecobag e o que achei mais interessante, um ebook que é um mini-dicionário de criaturas fantásticas nórdicas. Acho muito bacana essa forma de publicação pelo financiamento coletivo, porque você faz uma pré-venda que banca a edição mais simples, a cada meta cumprida pode incrementar mais a obra (mais contos foram inclusos e a brochura foi substituída por capa dura em razão do número de apoios), e seu formato de negócio te aproxima mais do consumidor, que se sente parte daquela realização.


Para minha grande alegria, o livro abre com um dos meus contos de fadas favoritos, A Leste do Sol e a Oeste da Lua. Trata-se de uma história norueguesa, parte da tradição dos maridos animais e que me lembra muito o mito de Psiquê e Eros. Não será surpresa para ninguém que gosto desse conto porque é a heroína que resgata o príncipe aqui, e isso depois de partir numa longa jornada, até os confins do mundo. E ela faz isso tanto com gentileza quanto astúcia. Outros dos contos apresentados, Rei Valemon, o Urso Branco é uma variante do mesmo tema.

Aliás, há várias histórias que são apresentadas em versões diferentes aqui. Pode soar repetitivo, especialmente se você pega o livro para ler num fôlego só, mas é interessante para observar como esses contos evoluem, como se alteram de um país para o outro, um mesmo tema apresentando tantas variações quanto o clima de cada região. É possível reconhecer a silhueta de personagens como Aladdin, a Bela e a Fera, ou Cinderela, em roupagens e sotaques diferentes. É algo que sempre nos faz perguntar sobre arquétipos, se essas histórias viajam com ondas migratórias ou se surgem de forma espontânea por cuidarem de temas universais, comuns ao ser humano.

Boa parte das histórias que li nesse volume me eram completamente inéditas. Achei que encontraria mais contos familiares, já que gosto de ler sobre mitologia nórdica, mas percebi que não conhecia tanto do folclore deles quanto imaginava. Fiquei encantada com o ritmo e a beleza das imagens que elas evocavam e não consegui deixar de imaginar como seria maravilhoso ouvir essas narrativas da maneira como elas eram contadas originalmente; talvez cantadas por um bardo em salões da corte como os que aparecem em Beowulf ou no maravilhoso Flor da Islândia, um dos meus contos favoritos da coletânea.


Aproveitei a campanha do catarse para adquirir também o volume dos Contos de Fadas em suas Versões Originais. Tenho vários livros nessa linha - incluindo uma maravilhosa edição em inglês com os contos completos dos Grimm -, mas a antologia da Wish vale à pena mesmo assim. Além de uma excelente curadoria na escolha dos contos, com várias histórias que nunca tinham sido sequer traduzidas no Brasil, o projeto gráfico, de novo, destaca-se na multidão.

Os dois volumes fazem parte do que a editora chama de Coleção Áurea, uma proposta de publicar em belas edições ilustradas os melhores contos de fadas de várias culturas. Parece-me que há planos de fazerem esse ano os contos celtas, também através de financiamento coletivo. Se houver, definitivamente participarei: além de todos os mimos extras enviados junto com os livros, ele acabam saindo mais baratos do que se comprados após o fim da campanha - e você tem a satisfação de ter feito parte daquela história.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos
Autor: Vários
Tradução: Vários
Ilustrações: Vários
Editora: Wish
Ano: 2019

Onde Comprar

Editora Wish


A Coruja


____________________________________

 

3 comentários:

  1. Você tentou me induzir, mas acabei resistindo. Fica para próxima :-)

    ResponderExcluir
  2. Quero esse livro. Ainda não tenho, mas, essa edição é linda e em breve quero ler.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre quis saber como eram essas publicações, quase entrei no financiamento no Catarse mas fiquei na dúvida sobre a qualidade. Agora que sei, vou atrás pra ver como faço pra adquirir agora.

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog