17 de janeiro de 2011

Desafio Literário 2011: Janeiro - Literatura Infanto-Juvenil || Magia ou Loucura



Meu nome é Razão Cansino. Deram-me esse nome porque minha mãe, Sarafina, achou mais bonito que Lógica, Racionalidade ou Intelecto, e também porque tinha apelidos melhores. Não que Sarafina tenha me chamado alguma vez por outro nome que não Razão.

Minha mãe leva a sério essas coisas: lógica, razão e o resto todo, e matemática, que felizmente não estava na lista de nomes possíveis. Fico grata por ter a cabeça cheia de números, mas não gostaria de responder pelo nome de Álgebra, Trigonometria ou Cálculo.

Não são muitos os que sabem o meu nome de verdade: os médicos e as enfermeiras no hospital onde nasci, a polícia, detetives particulares. E
ela, é claro, a bruxa má, minha avó, Esmeralda Cansino.

Tenho uma confissão a fazer: não escolhi esse livro porque já conhecia a autora (até porque antes disso nunca tinha ouvido falar dela...) e nem por ter sido fisgada pela sinopse (que só vim a ler depois de já tê-lo colocado na agenda do Desafio Literário 2011). O verdadeiro motivo que me levou a escolher esse livro foi o seguinte: ele tem uma coruja na capa brasileira.

Felizmente, esse não foi um daqueles casos em que "quem vê capa não vê coração" (hum... acho que estou confundindo alguma coisa...) e eu gostei suficientemente do livro para querer ler o resto da trilogia (volto a repetir que sinto muitas saudades da época em que as histórias eram contadas em um único volume...).

A história de Magia ou Loucura gira em torno de Razão Cansino, uma garota de quinze anos que passou a vida inteira fugindo com a mãe da avó Esmeralda. De acordo com Sarafina, a mãe de Razão, Esmeralda acredita ser uma bruxa (má) e passou a infância de Sarafina atormentando-a, até que ela fugiu, engravidou de um aborígene (estamos na Austrália), teve Razão e continuou fugindo, especialmente depois que a bruxa má entrou com uma ação de tutela da neta.

Razão foi ensinada que a avó é meio louca, porque é óbvio que magia não existe. Mas aí, Sarafina enlouquece de verdade e tenta se matar, Razão é levada pelo serviço social para a avó enquanto a mãe é internada numa clínica em Sidney, ela descobre algumas coisas, conhece outras, passa pela porta dos fundos e, de repente, descobre que está em Nova York...

... e chega à conclusão de que magia existe - e isso, amiguinhos, é só a primeira metade do livro.

A questão é que... magia existe, magia é boa, magia é legal... mas quando você usa magia, você 'queima' energia e alguns anos de sua vida - o que explica porque as mulheres da família Cansino morrem muito jovens. E, se você simplesmente não usa a magia, então você enlouquece. E aí tenta se matar... ou matar os filhos (como a mãe de Tom e o pai de Jay-Tee).

Não vou dizer que o livro é ma-ra-vi-lho-so ou super original, porque isso não é bem verdade. Mas é uma história interessante, com algumas tintas bem sombrias (quero saber mais sobre o garoto que a Razão matou no passado...), com potencial para crescer.

Agora, uma coisa curiosa... os três livros que li para janeiro no Desafio foram centrados em personagens femininas bastante jovens, com alguns probleminhas familiares, e extremamente determinadas. Tanto Razão quanto Tiffany e Lila têm de, sozinhas, empreender uma jornada perigosa, que determina uma reviravolta em suas vidas.

É uma coincidência que isso tenha acontecido; não fiz essas escolhas propositalmente até porque, como já confessei, não escolhi todos os livros sabendo do que se tratava, mas sim por conhecer os autores ou por causa da capa (vergonha, Lulu, vergonha...). Mas é bem curiosa a forma como os livros se somaram.

Bem, é isso. Mês que vem, no Desafio Literário, teremos Biografias e Memórias. Já estou com os livros separados aqui para começar a ler. E tem... TOLKIEN!!! VIVA!!!

Ok, vou guardar minha empolgação agora para mês que vem...

Nota: 4
(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: Magia ou Loucura
Autor: Justine Larbalestier
Tradução: Ricardo Silveira
Editora: Galera Record
Ano: 2007
Número de páginas:320



A Coruja


____________________________________

 

3 comentários:

  1. Ah esse livro também me chamou a atenção pela capa, coloquei ele na lista de leitura por causa dela e da sinopse, mas não tinha lido resenhas sobre ele, pra variar adorei a tua :)
    Legal essa coincidência das três leituras do desafio se centrarem num mesmo tipo de personagem, até porque são histórias tão diversas e nos mostram o quão plural e rica é a experiência da leitura :)
    estrelinhas coloridas...

    ResponderExcluir
  2. Este livro parece ser bom mesmo, vou colocá-lo na minha lista, você me convenceu.
    Adorei a confissão da escolha ser por causa da coruja na capa, rsrsrs
    Também adoro corujas, mas não consigo imaginá-las em um teto de zinco ainda por cima quente. Bju

    ResponderExcluir
  3. Oi, Luciana! Como sempre, com suas resenhas tão bem feitas, impossível não se sentir instigada apesar da temática não ser muito minha praia. Mas, é isso, fevereiro está chegando e vambora meter brasa nas leitura do DL 2011!

    Beijocas

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog