29 de abril de 2017

A Vertigem das Listas: Quatro Viajantes do Tempo


Ísis: Olá caros leitores! Como vai 2017 para vocês? Se estiver ruim, já ficam desde já desejos para que tempos melhores lhes cheguem!

E por falar em tempo, esse é o tema da vez. Quatro Personagens que Manipulam o Tempo... E fizeram alguma burrada utilizando-se desses poderes.


Lulu: Sério, Ísis? Tinha nenhum tema menos bizarro, não? Por que você insiste em me fazer sofrer? Vou ali chorar no cantinho enquanto tento descobrir se tenho alguma indicação para esse mês.

Ísis: Tá bom, viajantes do tempo, pronto.

Lulu: Muito obrigada por facilitar minha vida.

Ísis: De nada. Só porque te amo. E como primeiro personagem, eu aponto Barry Allen, o Flash da série, The Flash. Ele não só voltou no tempo, como modificou um(ns) detalhe(s) no passado e criou uma outra realidade. Depois desfez o que fez (coitado) e criou mais outra realidade, na qual ele está vivendo. É mole?


Lulu: Putz… cheguei a começar a assistir a série, mas passei perto do fim da primeira temporada, mais por problemas de tempo que qualquer outra coisa. Vou tentar voltar a assistir, eu gostava da série…

Enfim, meu primeiro indicado é um clássico porque, sério, não se pode fazer uma lista de viajantes no tempo sem citar Marty McFly, da trilogia De Volta para o Futuro. No primeiro e mais icônico dos filmes (ao menos na minha opinião), Marty viaja ao passado na DeLorean adaptada como máquina do tempo pelo professor Brown, seu vizinho excêntrico. Lá, acaba interferindo sem querer no relacionamento dos pais, quando a versão mais jovem da mãe se apaixona por ele e quase desaparece em consequência…



Ísis: Esse é clássico e tinha quase certeza que entraria nessa lista… Detalhe, continuo não o tendo visto… ainda.

Lulu: E, como de hábito, a Ísis prova que não teve infância…

Ísis: Minha segunda indicada é a Kagome Higurashi, do anime/manga Inuyasha, que é levada 400 anos ou mais para alguma época do Japão feudal. Ela não bagunça o tempo nem ou coisa assim, mas é forçada a dividir sua vida entre o século 21 “onde” tem família, amigos e escola, e o passado, “onde” também tem amigos e uma missão importante a cumprir.


SPOILER! SPOILER!! SPOILER!!!
Apesar de não gostar muito da personagem, simpatizo com ela por se encontrar nessa situação. E, mais para frente, quando ela precisa decidir as entre duas épocas, aí é que dá dó dela mesmo…


Lulu: Claire Randall, a protagonista do romance Outlander, que também foi adaptado para uma série de TV, atravessa um círculo de pedras na Escócia dos anos 40, pós-guerra, para se encontrar então no meio dos levantes jacobitas de 1740. Eu li só o primeiro livro (resenha aqui), e assisti parte da série, mas gostei bastante - talvez pelo fato de ter conhecido muitos dos lugares pelos quais Claire passa na história.


Ísis: Dá mais conexão com a história com certeza quando a gente conhece os cenários.

Bem, essa foi a lista da vez. Se alguém tem algum protesto por termos excluído alguém, ou por termos incluído alguém, fique à vontade para comentar abaixo! :)

Até a próxima Vertigem!



____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog