1 de setembro de 2015

Desafio Corujesco 2015: Um Livro que Vi num Blog || A Metafísica dos Tubos

Eu me entendo. Aos dois anos de idade, saíra do meu torpor para descobrir que a vida era um vale de lágrimas no qual se comiam cenouras cozidas com presunto. Devia ter a sensação de ter sido passada para trás.

Para que então nascer, se não é para conhecer o prazer? Os adultos têm acesso a mil volúpias, mas para as criancinhas só a gulodice abre as portas do deleite
A Metafísica dos Tubos foi uma indicação feita pela Laura, do Leituras de Laura - que eu conheci graças ao Desafio Corujesco, vez que ela foi a primeira e mais fiel participante da brincadeira. Ela fez uma resenha para a Nothomb no tema “autores que indico para todo mundo”, eu fiquei curiosa e pedi indicações de por onde começar com a escritora e aí ela me sugeriu esse título, que consegui por troca no SKOOB.

Quero, desde já, agradecer pela sugestão: terminei de ler A Metafísica dos Tubos já querendo recomeçar e reler tudo mais uma vez.

O livro se apresenta como uma autobiografia dos primeiros anos da autora, aquela época nebulosa em que damos nossos primeiros passos, dizemos nossas primeiras palavras e descobrimos o mundo pela primeira vez.

O resultado disso é um experimento em linguagem e sensação, de forma poética, mas nem um pouco idealizada - a narradora tem a consciência arrogante da infância de ser o absoluto centro do universo, o Deus a cujos pés os adultos deitam suas oferendas.

Parte dessa identidade se origina no fato de que a autora, filha de diplomata, vivia no Japão nos anos narrados na história - e a cultura japonesa considera as crianças, até os três anos de idade, representações divinas.

O livro é pequeno, mas rende bastante em termos de reflexão. Toda a narrativa está recheada de questões filosóficas, temperada com fina ironia - o exato tipo de humor que gosto. Considerando minha experiência com A Elegância do Ouriço, começo a pensar que a literatura francófona contemporânea (Nothomb é belga) muito me convém...

De tudo o que li esse ano, A Metafísica dos Tubos é a história mais criativa e, sem dúvida, uma das melhores também. Da mesma forma que me foi recomendado, eu recomendo fortemente descobrir Amélie Nothomb. Infelizmente, o livro está esgotado, mas é possóvel encontrá-lo para troca no SKOOB ou em sebos.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: A Metafísica dos Tubos
Autor: Amélie Nothomb
Tradução: Clóvis Marques
Editora: Record
Ano: 2003


A Coruja


____________________________________

 

8 comentários:

  1. É um choque quando você finalmente entende "o mundo não gira ao seu redor!", e que as outras pessoas não existem só como figurantes pra você poder viver sua vida. hahah Isso me fez lembrar do livro "Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo", o autor fala sobre sua experiência com o solipsismo da infância em um pequeno parágrafo. É um livro que você precisa ler se gosta "questões filosóficas temperadas com uma fina ironia". Em algumas passagens eu ri alto. Já quero ler esse, parece uma viagem interessante entrar na cabeça de um bebê.

    ResponderExcluir
  2. O Wallace já estava na minha lista com esse livro faz um tempinho, já que adoro ensaios. Vou passá-lo à frente depois dessa indicação. De fato, adoro questões filosóficas temporadas com fina ironia - não é à toa que sou apaixonada pelo trabalho do Pratchett!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comecei a ler A cor da magia em ebook, acabei dormindo (não porque fosse chato, estava com sono mesmo) e nunca mais voltei. Você fala tão bem dele, está incutido em minha cabeça: preciso voltar a ler, haha.

      Excluir
    2. Pra ser sincera, Cor da Magia é divertido, mas não é o melhor dele. Eu acho que os melhores são todos os que vieram a partir de Pequenos Deuses - as histórias são mais densas, tocam em temas mais sérios (ainda que com o humor característico do autor).

      Excluir
  3. Você leu a metafísica dos tubos!!!!!!!!!!!!!! <3 <3 <3
    Morri de amor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você falou tão bem e o título me deixou tão curiosa que não havia como eu não ir atrás... sério, agradeço DEMAIS a indicação, fiquei apaixonada pelo livro. Um dos melhores e mais criativos que li esse ano, sem dúvida.

      Excluir
  4. Então, juro que não fiz de propósito e não foi combinado, mas o livro que li esse mês do desafio foi indicação sua! :-D
    http://leiturasdelaura.blogspot.com.br/2015/11/the-duke-and-i.html
    Apesar da data da resenha, concluí a leitura no início de outubro :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUAHUAHUAHU... Tá vendo? Nos influenciamos mutuamente!

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog