25 de maio de 2011

Clube do Livro (Maio) - A História sem Fim

As paixões humanas são misteriosas, e as das crianças não o são menos que as dos adultos. As pessoas que as experimentaram não as sabem explicar, e as que nunca as viveram não as podem compreender. Há pessoas que arriscam a vida para atingir o cume de uma montanha. Ninguém é capaz de explicar por quê, nem mesmo elas. Outras arruínam-se para conquistar o coração de uma determinada pessoa que nem quer saber delas. Outras, ainda, destroem-se a si mesmas porque não são capazes de resistir aos prazeres da mesa — ou da garrafa. Outras há que arriscam tudo o que possuem num jogo de azar, ou sacrificam tudo a uma idéia fixa que nunca se pode realizar. Algumas pensam que só podem ser felizes em outro lugar que não naquele onde estão e vagueiam pelo mundo durante toda a vida. Há ainda as que não descansam enquanto não conquistam o poder. Em suma, as paixões são tão diferentes quanto o são as pessoas.

A paixão de Bastian Baltasar Bux eram os livros.

Quem nunca passou tardes inteiras diante de um livro, com as orelhas ardendo e o cabelo caído sobre o rosto, esquecido de tudo o que o rodeia e sem se dar conta de que está com fome ou com frio...

Quem nunca se escondeu embaixo dos cobertores lendo um livro à luz de uma lanterna, depois de o pai ou a mãe ou qualquer outro adulto lhe ter apagado a luz, com o argumento bem-intencionado de que já é hora de ir para a cama, pois no dia seguinte é preciso levantar cedo...

Quem nunca chorou, às escondidas ou na frente de todo mundo, lágrimas amargas porque uma história maravilhosa chegou ao fim e é preciso dizer adeus às personagens na companhia das quais se viveram tantas aventuras, que foram amadas e admiradas, pelas quais se temeu ou ansiou, e sem cuja companhia a vida parece vazia e sem sentido...

Quem não conhece tudo isto por experiência própria provavelmente não poderá compreender o que Bastian fez em seguida.

Olhou fixamente o título do livro e sentiu, ao mesmo tempo, arrepios de frio e uma sensação de calor. Ali estava uma coisa com a qual ele já havia sonhado muitas vezes, que tinha desejado muitas vezes desde que dele se apoderara aquela paixão secreta: uma história que nunca acabasse! O livro dos livros!


Michael Ende – A História sem Fim
Estou apaixonada. Simplesmente apaixonada. Quero partir para Fantasia. Quero viver aventuras ao lado de Atreiú. Quero voar aconchegada ao pescoço de Fuchur. Quero admirar a Imperatriz Criança, a Filha da Lua, Senhora dos Desejos, a dos olhos dourados. Quero contemplar Amargante e perder-me em sua biblioteca. Quero... quero...

Gostaria de saber porque não li esse livro antes.

Claro que assisti o filme. A História sem Fim é um clássico da Sessão da Tarde, tendo sido reprisado dezenas e dezenas de vezes. Bons tempos aqueles em que se revezavam O Feitiço de Áquila, Gremlins, O Jardim Secreto, A Princesinha... Curtindo a Vida Adoidado! Quero ser Grande, com sua inesquecível cena do teclado! Um Morto muito Louco! Goonies! De Volta para o Futuro! INDIANA JONES!!!!

Ok, deixa eu parar a sessão nostalgia por aqui, ou vamos ficar só nisso pelo resto do dia... Voltemos ao tópico principal... o caso é que, assisti o filme; como quase toda criança, queria um Falkor pra mim; mas não fazia nem idéia de que existia um livro com a história do filme – do contrário, teria procurado ele bem mais cedo...

História sem Fim será, sem dúvida, um dos livros que lerei para minha filha imaginária num futuro muito, muito distante (e imaginária, porque, a princípio, pretendo seguir o exemplo do Brás Cubas).

Bastian Baltasar Bux é um menino bastante comum. Ele não é particularmente inteligente, particularmente atlético ou particularmente popular. Perdeu a mãe não faz muito tempo e vive sozinho com o pai, que parece ter se anulado após a morte da esposa. Sofre constantemente nas mãos dos colegas de escola por ser gordinho e desajeitado. Como aluno, é apenas mediano, o que significa que não é um grande favorito dos professores, que também se comprazem em humilhá-lo em sala de vez em quando.

Até que, um dia, ao fugir dos colegas, ele acaba indo se esconder numa pequena loja, onde se depara com um velho resmungão... e um livro. Não um livro, na verdade, mas O Livro. A História sem Fim.

Se Bastian tem alguma paixão na vida, essa paixão são os livros... e as histórias. Aquele livro, com a promessa de uma história que nunca chega ao fim, encanta-o. E é assim que o garoto acaba por roubar o livro, enfiando-se no sótão esquecido da escola para poder lê-lo, crente que após sua transgressão, jamais poderá voltar para casa.

De certa forma, Bastian tem razão. Ao terminar sua leitura, ele estará completamente mudado. Dentro do livro, ele viveu muitas eras e muitas vidas. Ao voltar para casa, para sua vida de antes, traz consigo tudo aquilo que aprendeu em Fantasia.

É um processo parecido com o dos irmãos Pevensie, de Lewis: reis e rainhas de Nárnia, que acumulam a vivência que tiveram no mundo de Aslam à sua vida comum. São, todos eles, crianças com olhos que viram muito além de seus anos.

A História sem Fim são muitas histórias que se encontram – e algumas, deixadas a terminar, convidam o leitor a, como Bastian, participar da criação de Fantasia. Todos nós, ao acompanharmos as aventuras dele, de Atreiú e Fuchur; todos também damos à Imperatriz Criança um novo nome – e com isso resta assegurada a continuidade de Fantasia.

Faz-me lembrar de Peter Pan, pedindo que as crianças o ajudem a salvar Sininho: o bater palmas enquanto recita "eu acredito em fadas!" é um equivalente à necessidade do novo nome, e tudo o mais se resume à idéia de que precisamos crer para que o encanto resista.

É um livro de personagens apaixonantes, sem maniqueísmos, aberto a inúmeras, infinitas interpretações. Um livro para se ler e reler e continuar em nossa imaginação... uma história sem fim, sem barreiras, sem idades.

Eterna.


A Coruja


____________________________________

 

4 comentários:

  1. A história sem fim e a princesinha eram meus clássicos preferidos da Sessão da Tarde!!! rsrsrs

    Até pouco tempo eu nem imaginava que existia um livro da história sem fim (se não me engano foi na sua estante do skoob que eu descobri isso... xD) e já o coloquei na minha lista de leitura imediatamente!!

    Depois dessa sua resenha então... Com certeza ele vai passar na frente de outros vários livros da minha lista 'imediata' de leitura...

    Beijinhos, Fran.

    ResponderExcluir
  2. Ai que edição mais fofa essa! Fiquei com vontade de comprar, droga. haha

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li essa historia, mas com toda essa empolgação sei que estou perdendo algo muito bom... ate pq era fissu no filme qdo dava na Sessão da Tarde... NOssa que saudade, todos os filmes citados nunca deixava de ver, capaz de parar de faze tudo so pra assitir se resolvessem reprisar mais uma vez na tv! XD

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog