10 de junho de 2010

Desafio Literário 2010 - Junho: Escritora Brasileira



Nunca estivera ali antes. Estudava naquela escola havia apenas dois meses. Já tinha ouvido histórias terríveis a respeito da biblioteca. Na verdade, havia histórias horripilantes a respeito de qualquer lugar da escola, mas as histórias sobre a biblioteca eram as piores. Para que serviria uma sala enorme cheia de livros, afinal? Para esconder horrores entre os volumes e embaixo das estantes, é claro!


Depois de passar o mês de maio inteiro com o nariz enfiado nos romances de Austen, lendo livros sobre Austen ou ainda sobre a época de Austen (tendo em vista o Projeto Austen aqui no Coruja...), decidi que em junho eu precisava de algo diferente... Assim, quando olhei para minhas opções do Desafio Literário, e vi que o livro de Martha Argel era sobre bruxas, decidi que ia ser esse mesmo, ainda que, originalmente, ele fosse o meu reserva.

Para ser sincera, eu não sei bem porque coloquei esse livro na minha lista do Desafio, exceto pelo fato de que eu tinha o livro. Nunca tinha ouvido falar na Argel antes, então, não tinha também nenhuma grande expectativa. Por coincidência, contudo, mês passado, quando da estréia da revista literária A Fantástica, uma das matérias a citava e isso me deixou meio curiosa. Assim, quando pensei que precisava de algo diferente para junho e dei de cara com o nome dela na minha lista, eu disse com meus botões, “é hoje”.

O Livro dos Contos Enfeitiçados é uma antologia de contos (um dos quais homônimo do título) de fantasia, com bruxas, demônios e outras criaturas sobrenaturais passeando pelas ruas de uma São Paulo bem familiar.

O primeiro conto, Amarelo... Amarelo... confesso, não me empolgou muito. Talvez por isso eu tenha demorado tanto a terminar, já que o livro é tão curtinho... Mas na segunda história, ela conseguiu me prender a atenção e daí, a cada conto novo, a ação se tornava mais empolgante e eu me peguei surpresa com o quanto gostei do livro no final das contas.

Morri de rir com Eu detesto futebol, em que bruxas com nomes que as fazem parentes das fadas boas de A Bela Adormecida decidem acabar com o futebol no mundo para darem um jeito nos maridos – com resultados não completamente satisfatórios. Muito bom também O Olho Vermelho (que me deixou de cabelos da nuca em pé) onde o personagem principal é assombrado pela luz vermelha do sistema de alarme da boa velhinha sua locatária; e Final Feliz, em que uma princesa com atributos não muito recomendáveis tenta cumprir uma profecia e arranjar um marido (o final é hilariante).

Dou destaque especial para os dois últimos contos. Primeiro, o que dá título ao livro, em que um garoto tem de cumprir uma aposta que passa por roubar da biblioteca um livro amaldiçoado, “em cujas páginas estavam registrados os medos de todas as pessoas que já o tinham lido” – qualquer pessoa que o lesse daria de cara com um único conto: o seu pior pesadelo, e, quando o lesse, seria capturada pelo livro e passaria a eternidade dentro de sua própria história de terror.

A idéia dessa história me prendeu e ele foi, sem dúvida, meu favorito. Na verdade, eu acho que ele merecia ser expandido - tenho certeza de que havia muito para se contar ali ainda.

Por fim temos Sofia, em que nossa jovem protagonista descobre que além de ser bruxa, ainda foi destinada por uma profecia a ser a salvação da humanidade. Nas palavras da própria, “você vai acabar tomando um processo da J. K. Rowling por plagiar o Harry Potter”.

Enfim, eu adorei ter descoberto a Argel graças ao Desafio e definitivamente irei atrás de outros livros dela. Ela não apenas sabe escrever fantasia e conhece os meandros de um sabá, como o faz com excelente humor. Além disso, ela sabe bem passear pelos gêneros: ela te assusta quando é para assustar, ela te faz rir quando é para rir e ela emociona também - embora ainda exista um pouco a desejar nas trocas emotivas de seus personagens.

Bem, talvez essa seja uma questão decorrente de serem contos curtos; realmente não dá para aprofundar muito as relações humanas em cinco, seis páginas.

Resumo da ópera? Livro recomendado. E vamos também ficar de olho na Argel, porque ela promete. Definitivamente lerei mais livros dela no futuro.

Nota: 4
(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: O Livro dos Contos Enfeitiçados
Autor: Martha Argel
Editora: Landy Editora
Ano: 2006
Número de páginas: 166


A Coruja


____________________________________

 

5 comentários:

  1. Gostei muito da sua resenha, nao conheco a autora mas vou ficar antenada sobre ela. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Justamente o livro q eu tenho :D
    Adoro!!!

    ResponderExcluir
  3. Pois é, pois é... Eu também gostei muito da autora, definitivamente procurarei mais livros dela para ler!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que excelente resenha! Vc conseguiu me empolgar!!

    E olha que eu não gosto muito de contos... mas acho que esta autora brevemente "dará uma voltinha aqui em casa"!

    Parabéns! Abços!

    ResponderExcluir
  5. Olha o desafio proporcionando descobertas, gente! Obrigada por escolher novos autores. Nós saímos ganhando com isso.

    Bjs

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog