13 de abril de 2010

Dia Internacional do Beijo - 4 beijos para fazer seu dia feliz





Estava vagabundando pelo twitter quando descobri que hoje é o Dia Internacional do Beijo. Eu não acreditei a princípio, óbvio (que diabos... quem é que instituíria um dia internacional do beijo? A ONU? A UNESCO?), mas depois de ir ao Google, descobri que sim, é verdade. Ou, pelo menos, tem matérias sobre o assunto em um monte de blogs e sites de notícias.


Continuei a pesquisa, tentando descobrir como esse feriado tinha sido criado. Dei de cara com algumas teorias... A que mais se repete é a de Enrique Porchelo:


Reza a lenda que uma delas se dá na Itália onde existia um tal de Enrique Porchelo. O “Dom Juan” beijava todas as mulheres da vila, inclusive as casadas. No dia 13 de abril de 1982, o padre local, injuriado, ofereceu pagar um prêmio em moedas de ouro às mulheres que não haviam ainda sido beijadas pelo homem. Nenhuma mulher apareceu para receber o prêmio. O padre morreu e o dinheiro continua por lá, em algum lugar.

A história é meio que um bocado esquisita, de forma que continuei a pesquisa até descobrir que a ONU estava REALMENTE metida no meio. Só que a data era outra...


On July 6 the International Kissing Day is celebrated, set in the United Kingdom for the first time. Two decades ago, the holiday was adopted by the UNO. On this day different kissing contests are organized in many cities, and the participants of such contests have a chance to win various prizes and gifts.

Tudo bem então... comemoremos o dia do beijo duas vezes por ano... começando por hoje.

Recomendo, para início de conversa, que dêem uma olhada nos memoráveis beijos literários lembrados no blog da Editora L&PM. E depois, visite Best Kisses para ver fotografias de beijos mandadas por pessoas do mundo inteiro - algumas são muito legais - a imagem que abre o post de hoje, aliás, veio de lá.

Por fim... Talvez vocês se lembrem que, ano passado, eu fiz um especial na semana dos namorados, em julho, com vários beijos de personagens das histórias do Expresso, Amaterasu e New Dawn.

Bem, eu não podia deixar hoje passar em branco, não é? Então, para vocês, no dia do beijo, Dona Lulu apresenta...


+ 4 BEIJOS PARA FAZER SEU DIA FELIZ


(Depois eu coloco os links para download das músicas, ok?)

_________________________

1. Just my luck

You and I have got a lot in common
We share all the same problems
Luck. Love and life aren't on our side

I'm in the wrong place at the wrong time
always the last one in a long line
waiting for something to turn out right, right

I'm starting to fall in love
Its getting to much
Not often that I slip up
Well it's just my luck
Yeah yeah

(McFly)


_________________________

- Aqui está. – ele colocou uma caneca à frente dela, sentando-se em seguida com sua própria bebida – Você teve sorte de eu ter conseguido chegar à mesa com ela cheia ainda... Por um instante, quando eu me virei, pensei que acabara de haver um terremoto... Mas era só você.

Ela riu, meneando a cabeça. Toda vez que ia ao vilarejo, ela acabava ocupando aquela mesma mesa, esperando que Mark terminasse o serviço para se sentar com ela e ficarem jogando interminavelmente a pequena charada deles.

Ao final das contas, ela acabara levando a sério a história de ficar amiga do garçom para ter um ombro para chorar. Embora sempre acabasse por rir quando estava com Mark. E ainda havia dois bônus na história: primeiro, ela bebia de graça e, segundo... bem, ela não podia negar que o garoto era uma gracinha...

- Desculpe, Mark... Mas você já usou essa do terremoto dois meses atrás.

Ele sorriu.

- Você está anotando, por acaso?

- Claro! Vou até escrever um livro: “100 maneiras de NÃO se aproximar de uma garota”. Tenho certeza que tia Mina ficará deliciada em publicá-lo. – ela deu um gole em sua bebida, voltando a atenção para ele, estreitando ligeiramente os olhos – Sabe o que eu acabei de perceber?

Ele meneou a cabeça, fazendo com que a franja de um castanho claro caísse sobre os olhos claros.

- Não, não faço a menor idéia, Jessie. Mas, se você quiser dizer, eu ficarei deliciado em escutar.

A moça encarou-o por alguns instantes, apoiando os cotovelos sobre a mesa, para em seguida fazer o mesmo com o queixo, agora sobre as mãos.

- Faz seis meses que esse nosso pequeno ritual se repete... Mas embora você já saiba o suficiente sobre a minha vida para me chantagear, eu não sei quase nada sobre você.

Mark deu de ombros.

- Você nunca perguntou. De qualquer maneira, o que você quer saber?

Ela sorriu, ligeiramente maliciosa.

- Hum... Além de ser sexy, o que você faz para viver?

Ele riu, os olhos claros brilhando com divertimento.

- Bem, eu sou barman aqui... Mas você já sabia disso, Jessie...

- Sim, mas eu não acredito que você vai ficar atrás daquele bar a vida inteira, Mark. – ela retrucou – Você deve ter alguma outra coisa que queira fazer, não?

Por um momento, ele a encarou com uma expressão pensativa.

- Eu estou juntando dinheiro esse ano para poder fazer uma viagem pelo mundo. Ano sabático. – Mark respondeu, tirando a franja dos olhos de novo – Eu ainda não tenho certeza do que eu quero fazer, mas eu acho que vou tentar a Universidade quando voltar. Eu gosto de química. Talvez eu seja um cientista. Quem sabe?

- Está vendo? Eu sabia que tinha mais coisa por trás do discurso de garçom-amigo-dos-bêbados. – ela sorriu.

Mark assentiu, o rosto não abandonando o semblante de antes. Jessica o observou em silêncio por alguns instantes, curiosa.

- Tem mais? Você também deseja a paz do mundo e o fim da fome mundial? – ela perguntou, provocando.

- Seriam boas coisas. – ele respondeu – Mas, no momento, o que eu mais queria de verdade era poder beijar você. Acha que eu teria sorte?

A resposta dele acabou por pegá-la completamente desprevenida. Ela piscou os olhos – o mesmo azul safira dos olhos de seu pai – encarando-o por mais tempo do que deveria. Mas não demorou muito para que ela recobrasse o espírito.

- Talvez... – Jessie respondeu finalmente – Talvez, ao final das contas, hoje seja exatamente o seu dia de sorte...

Mark sorriu, inclinando-se na mesa até alcançar-lhe o rosto. Segundos antes de os lábios dele colarem-se aos seus, ela se lembrou do pai... e pensou consigo mesma que ele ficaria possesso quando descobrisse que ela acabara se apaixonando por um garoto de fora das Ilhas...

_________________________

2. Stars

I love you just the way you are
I'll have you just the way you are
I'll take you just the way you are
Does anyone love the way they are?

(The Cranberries)


_________________________

- Uma estrela cadente! – ela exclamou, apontando, empolgada, para o céu acima deles – Faça um pedido!

Touya riu, fazendo com que ela lhe lançasse um olhar não muito satisfeito.

- O que foi?

Ele meneou a cabeça.

- É um planetário, Kokoro. Não acho que pedidos feitos às estrelas cadentes daqui sejam válidos.

A moça fez um bico emburrado, cruzando os braços.

- O que vale é a intenção. – ela resmungou – No fun, Touya. Você acabou com toda a minha diversão.

Ele sorriu, observando com um certo brilho no olhar, antes de se inclinar na direção da poltrona dela, plantando um beijo na bochecha dela. Kokoro imediatamente sentiu o sangue afluir ao rosto, encarando o rapaz com a boca meio aberta.

- Desculpe, Kokoro. Você me perdoa?

Foi a vez de ela rir, recuperando-se da surpresa inicial.

- E eu tenho escolha?


_________________________

3. Everything

Find me there,
And speak to me
I want to feel you
I need to hear you
You are the light
That's leading me to the place
Where I find peace.. again

(Lifehouse)


_________________________

Thomas respirou fundo, tomando as mãos dela entre as suas com delicadeza, seu olhar firme sobre os olhos dela.

- Eu não tenho certeza se você compreendeu totalmente o que eu disse antes, Emily. O que você me deu foi muito mais que apenas um... uma distração. Um paliativo. - ele voltou os olhos escuros para suas mãos unidas - Você me devolveu a paz, Emily, e esperança. Você me deu uma segunda chance de viver.

Uma lágrima escorreu pelo rosto dela, logo seguida por outra, e mais outra e mais outra.

- Thomas...

Ele a interrompeu mais uma vez, dessa vez, colocando dois dedos sobre seus lábios.

- Eu vou beijá-la agora, Emily. Eu posso?

Ela sorriu por entre as lágrimas, assentindo. Thomas também sorriu, inclinando a cabeça até encostar suas testas, misturando suas respirações por alguns segundos antes de, finalmente, deslizar seus lábios até os dela.

_________________________

4. I want you

I want you
Or no one
No one else will do
You, or no one
No one is the only one
To fill the empty space I hold for you

(Rachael Yamagata)


_________________________


Um pouco de álcool, a semi-escuridão que imperava na pista, a batida intimista da banda que tocava ao vivo aquela noite - ele se sentia meio flutuando dentro da própria cabeça, totalmente intoxicado pelo perfume que exalava dela.

Mariana riu, enquanto André quase tropeçava nos próprios pés, tentando acompanhar os passos dela. Ele fez uma careta.

- Eu disse que não sabia dançar. E você prometeu que não ia rir.

Ela riu de novo, aproximando-se um pouco mais dele.

- Você é adorável, Deco.

André revirou os olhos ao apelido.

- Eu não sei se gosto muito da idéia de ser chamado de 'adorável'.

Mariana balançou a cabeça, rindo baixinho... E então, para sua surpresa, ela prensou o corpo contra o dele, jogando os braços sobre seus ombros, roubando um beijo rápido, inteiramente casto, que, ainda assim, deixou-o completamente tonto.

Antes que ele pudesse reagir, ela já se afastara de novo, voltando a se balançar no ritmo da canção.

_________________________

Para ver os beijos do ano passado...

+ 9 beijos para fazer um dia feliz

Parte I
Parte II
Parte III


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog