25 de janeiro de 2020

A Vertigem das Listas: Dez Trilhas de Respeito


Ísis: E chegou 2020! Ano das Olimpíadas, ano de conquistas… Uma nova década. Queira Deus seja conhecida no futuro como a década em que a humanidade se endireitou…

A girl can dream


Lulu: Peraí só um minutinho… a década não vai acabar oficialmente esse final de ano? Porque não temos ‘ano 0’ no nosso calendário. A contagem começa do 1, o que significa que o ano que termina em zero ainda pertence à década anterior… o que significa que a década de 20 só começa oficialmente em 2021.

Ísis: Tony Stark discorda de ti! XD


Lulu: Ok, Tony Stark pode discordar de mim, mas… Eu parei até para pesquisar aqui agora e achei um artigo bem interessante no NPR. Visualmente falando, faz sentido falar do fim da década em 2019, porque, bem, 2020 é um número redondo, não é? Enfim, essa é uma daquelas polêmicas de conversa de bar.

Comecei bem o ano, não? Mas, enfim, faço meus os votos da Ísis. Começando agora ou ano que vem, que a década de 20 nos traga paz e cooperação...


Ísis: Mas nem no ano novo a Coruja dá folga! ^^

Eu já ponderei sobre isso há muito, muito tempo, várias vezes, na verdade. Por mais que ache curioso o assunto, a minha conclusão foi, que não me importo se começa mais pra lá ou pra cá; o que importa é que estou viva… e cantando I’m Alive da Sia. Adoro essa cantora… E, bem, por falar nisso, para começarmos bem o ano, o primeiro tópico será algo que acalma e faz bem à alma: música. Vem aí Dez Trilhas Sonoras que Amamos/De Respeito!

1. Já mencionei minha revolta aqui várias vezes, mas… Minha amada série Shadowhunters foi CANCELADA!!! Acabou! Ao menos teve um final; não ficou aquela grande interrogação… Mas sentirei muita falta da trilha sonora, especialmente da primeira temporada, a qual foi quase toda executada por uma só cantora: Ruelle. O estilo de música dela é tipo o da SiA? Minhas preferidas, e que volta e meia estou cantando, são Where Do We Go from Here e War of Hearts.


2. Sound of Music. Meus pais me apresentaram a esse filme quando eu era criança, na época em que alugávamos fitas VHS. Foi a primeira vez que ouvi falar ou assisti a um filme que precisava de duas fitas porque era longo. E coitados da minha mãe e meu pai, porque depois eu os fiz alugar e assistir comigo tantas vezes esse filme, que não sei como não abusaram… ^^’ Enfim, adoro a trilha sonora desse musical, e não é nada raro eu me pegar cantando alguma de suas canções enquanto caminho, pedalo, cozinho, penso no vento….. Eidelweiss...


3. SiA. Essa aqui fica um pouco fora do padrão de “trilha sonora”, mas além do fato de que adoro a discografia que conheço dessa artista, ela ainda tem feito as músicas de encerramento de vários filmes, tipo Mulher Maravilha (I’m unstoppable….!) e até a do filme do Meu Pequeno Pônei! Segue aqui uma lista para acompanharem…

4. Tsubasa Chronicles, a versão animada (anime) do mangá do CLAMP Tsubasa Reservoir Chronicles tem uma das melhores trilhas sonoras que eu conheço... Também pudera, com a monstra (no bom sentido) da Yuki Kajiura como parte do staff musical. Toda música que essa mulher arranja acaba sendo fenomenal…. Ela também fez muitas músicas da franquia .hack, que, embora nunca tenha assistido, conheço várias canções que adoro, exemplo de Key of the Twilight. Ela também esteve envolvida em muitos dos meus preferidos como Kuroshitsuji e Loveless, e outros mais conhecidos como Sword Art Online e Gundam Seed. Das minhas músicas preferidas de Tsubasa, porém, destaco Kaze no Machi e e Synchronicity, essa última cantada pela maravilhosa Maaya Sakamoto.

5. Por fim, como eu adoro AMO os taikos, os tambores japoneses, vou eleger Naruto, vez que adoro quando os tambores soam nas cenas de lutas ninjas, por exemplo.


Lulu: Ok, então… eu amo uma boa trilha sonora; acho que é parte tão importante de contar uma história quanto o próprio enredo, atores, atuações, figurinos… Mesmo quando ela está ausente, o silêncio pode dizer muita coisa para como você interpreta uma cena. Não é mesmo?

Tenho, claro, minhas trilhas sonoras favoritas. Agradeço a Isinha pela desculpa de colocar todas elas em sequência para ouvir enquanto escrevo aqui…

6. Minha primeira escolha é óbvia, mas, falando com toda a sinceridade, é difícil não ser óbvio quando estamos escolhendo nossos favoritos para os temas do vertigem. Exceto, claro, quando a Ísis nos aparece com um tema impossível, mas, ok, isso não vem ao caso. Minha primeira escolha para esse vertigem é a trilha sonora de O Senhor dos Anéis, assinada pelo Howard Shore. Eu ainda me arrepio escutando essa trilha e me lembro nitidamente de quando assisti o primeiro filme no cinema, e como a música foi essencial para me fazer acreditar na Terra-média que via na tela.


7. Eu adoro todas as músicas que o Danny Elfman fez para os filmes do Tim Burton, elas são maravilhosas e inesquecíveis e casam perfeitamente com o clima das histórias. Edward Mãos-de-Tesoura; Batman; Beetlejuice; O Estranho Mundo de Jack e A Noiva Cadáver são alguns dos que me saltam à memória e, se tenho de escolher apenas um… fico com O Estranho Mundo de Jack, que é uma parte importante da minha infância.


8. Quando Guardiões da Galáxia estreou, uma coisa pelo menos foi unanimidade: a trilha sonora, recheada de nostalgia, com hits da década de 70. Eu saí do cinema com um sorriso de orelha a orelha, a despeito de ter passado raiva no começo da sessão (a Ísis inclusive estava comigo, deu problema na projeção, tiveram que reiniciar mais de uma vez… bom que no fim ganhamos ingressos de cortesia para voltarmos?) - e boa parte da razão de a história ter funcionado pra mim foram as canções e a forma como elas foram utilizadas na narrativa.


9. Ver séries de época da BBC é uma daquelas coisas que está na minha lista de “o que fazer quando preciso de conforto” - junto com itens como ‘receber um abraço’, ‘comer chocolate’ e ‘ler romances água-com-açúcar’ (eu praticamente tenho uma outra lista para o vertigem só nesse parágrafo…). Sou particularmente inclinada para as séries inspiradas em Jane Austen. Gosto da trilha sonora de todas elas, mas uma pela qual tenho particular apreço e que volta e meia estou colocando para ouvir e sonhar acordada, é a de Emma, que saiu em 2009, assinada por Samuel Sim. Encanta-me particularmente a canção do baile, mas adoro todas…


10. Termino com uma trilha sonora que toda vez que escuto me faz ter dois sentimentos conflitantes: primeiro, sentar e escrever, depois, arrumar as malas e viajar para a Escócia. Sim, estou falando da trilha de Outlander. Veja só, antes de eu descobrir a série - acho que até antes de descobrir o livro - eu escutei The Skye Boat Song e meio que me apaixonei. Ela me faz fechar os olhos e, sei lá, sentir os pés na grama. Na verdade, ela me dá vontade de procurar um gramado no qual eu possa dançar descalça. Dá para entender o que eu quero dizer? Não sei explicar. Acho que a culpa é da gaita de foles; toda vez que escuto uma canção numa gaita de foles, fico particularmente emocionada…



Ísis: Outlander é uma das mil e uma coisas que quero assistir e ainda não o fiz. Bom saber que tem uma trilha linda assim. E já mencionei isso antes, mas O Estranho Mundo de Jack me traumatizou quando era criança, então nunca consegui apreciar a obra pelo que ela é...

Ok, então começamos o ano bem animadas com músicas! Continuemos assim o resto dessa década! (Quer seja a década de 2010 ou de 2020…)

Até a próxima lista!





____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog