4 de dezembro de 2015

Heróis de Papel - Capítulo 30


Capítulo 30

Final de Junho (Ano 5)

David,

Acabou. A guerra acabou, nós ganhamos, e estou finalmente de volta. É estranho, não? Você volta para um lugar, depois de passar anos fora, e espera que as coisas estejam diferentes. Você mudou, e é razoável pensar que o resto tenha mudado também.

Faz uma semana desde que cheguei, e um dos primeiros lugares que visitei foi minha antiga rua. Encontrei alojamento no mesmo apartamento que muito tempo atrás dividi com minha mãe, e às vezes tenho a impressão de ainda sentir o perfume dela pela casa. As lojas que eu conhecia antes da guerra continuam nos mesmos lugares, e são os mesmos rostos que me cumprimentam quando me aventuro a sair.

Ao final das contas, nada parece ter mudado, além de eu mesmo. O mundo ao meu redor parece estranhamente irreal – custo a dormir à noite, desacostumado com o silêncio, e durante o dia sinto como se estivesse sonhando. Todas as coisas de que me lembro estão nos mesmos lugares, mas elas não parecem mais me pertencer.

Esse é um dos motivos pelos quais, apesar de já ter chegado há uma semana, ainda não fui visitá-lo. Passei pela sua porta um sem-número de vezes, mas não consegui me forçar a bater. Tenho medo de que você me pareça tão irreal quanto o resto, e não sei se suportaria perder a idéia que tive de você durante todo esse tempo.

Não posso, contudo, continuar adiando meu retorno à vida normal, e sinto que só posso começar a fazê-lo quando puder cumprir as promessas que fiz, e pagar a dívida de gratidão que tenho com você.

Passei ontem à noite relendo todas as suas cartas e juntando minha coragem para escrever essa mensagem hoje. Vou entregá-la agora de manhã e então não terei mais desculpas para me furtar a essa visita.

Avise a Marianne que estarei disponível para a limonada e os biscoitos hoje. E me espere para a hora do chá. Espero que não se importe se Galahad me acompanhar.

Até muito em breve,

Alex.


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog