1 de novembro de 2011

Para ler: An Assembly Such as This



The young officers he had overtaken pushed past him, all now holding the hands of females whom Darcy was able to identify as Elizabeth's younger sisters. They encircled her and Denny and, one og them pulling on that officer, bore him away to the ballroom. Elizabeth turned, waving them off with a wistful smile. As she did, Darcy finally saw her complete. The sight utterly ravished him. It was, suddenly, painful to breathe. The roaring of the blood through his veins caused the world about him to go silent.

Part of my soul, I seek thee and thee claim
My other half...
Where had he read that? He mused as he stood unmoving, mesmerized by the vision before him. "Part of my soul..." He comanded his limbs to move. He took a step toward those marvelous eyes alight with so much life. "I seek thee..." Another step and he thought their eyes met, but it could not have been, for she was turning away. "My soul..."

Comprei esse livro por indicação da Terry Hubener, do JASNA, quando esteve aqui no Brasil ano passado, à época que ocorreu nosso primeiro encontro regional. Confesso, contudo, que não levava assim tanta fé que o livro fosse, nas palavras dela, “a melhor de todas as adaptações de Orgulho e Preconceito; a melhor versão do Darcy que vi em muito tempo”.

Tendo achado que se tratava de um certo exagero de fã, demorei alguns meses para encomendá-lo e, ainda assim, só pedi o primeiro – não queria me arriscar a comprar toda a trilogia e depois torcer o nariz.

Não tinha chegado na metade do livro quando paguei a língua e corri para encomendar os dois volumes seguintes, já quase arrancando os cabelos porque sabia que eles não chegariam a tempo de me permitir emendar a leitura.

An Assembly Such as This não é um livro bom. Não. Ele é, exatamente como a Terry disse, a melhor, a mais completa e fiel versão do Darcy fora das mãos da Austen. é uma coisa assim... completamente espetacular. Excepcional. Algo que me faz querer cantar odes à Pamela Aidan.

E não, não acho que estou exagerando.

O livro é delicioso, montando um retrato muito digno de Mr. Darcy, expandindo seu personagem para além da sua paixão por Lizzie Bennet. Ele está inserido numa perspectiva histórica – você vê Darcy vibrando com livros sobre a campanha do futuro Duque de Wellington na Península Ibérica (estamos, afinal, nos tempos das Guerras Napoleônicas); torcendo o nariz para os modismos do Príncipe Regente, freqüentando clubes de cavalheiros, discutindo política...

Mais divertido ainda é ver as pessoas que o rodeiam: o hilariante Fletcher, seu valete pessoal que quase me mata de rir com suas citações shakesperianas e manipulações maquiavélicas do guarda-roupa de seu mestre; ou Lorde Dyford Brougham, amigo em Londres de quem você nunca sabe o que virá a seguir.

Agora, a cereja no topo do bolo é o Bingley – e uma das minhas passagens favoritas é aquela em que Darcy relembra como os dois se tornaram amigos. Em seu tratamento com o companheiro, Darcy pensa constantemente na relação que tinha com o próprio pai, nos ensinamentos que herdou deste; e é difícil não se deixar enternecer pela preocupação e lealdade que eles sentem um pelo outro.

Claro que a melhor parte de toda a história é vê-lo ir gradualmente se pondo sob o encanto de Lizzie. A cena do baile em Netherfield é de tirar o fôlego, de deixar a gente flutuando em nuvens: é doce, passional, angustiante, tudo ao mesmo tempo.

Agora toca esperar os próximos volumes, roendo as unhas porque – maldade das maldades – o primeiro volume termina justamente quando Darcy e Bingley partem para Londres. Quero vê-los em Rosings! E Pemberley! Preciso desesperadamente de mais!



A Coruja


____________________________________

 

3 comentários:

  1. Oi Lu,

    Nossa, a história parece ser mto boa mesmo, fiquei interessadicima.

    Onde vc comprou eles?

    Bjos
    Carol

    ResponderExcluir
  2. oi!

    Já li os três livros, e realmente são muito bons, principalmente o último These Three Remain, que é onde acontece Rosings e Pemberley. Já li pelo menos quatro outros livros contando O&P da perspectiva de Darcy e esses da Pamela Aidan são os melhores. Eu comprei em e-book pelo site da Amazon e mais tarde descobri que tem versões traduzidas para o espanhol no 4shared.

    ResponderExcluir
  3. Eu já li os 3 e são realmente uma delícia!!!
    Li tudo em uma semana e 2 dias...só faltava tomar banho lendo os livros...Rs

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog