21 de novembro de 2010

Meme Literário: Dia 21 – um livro guilty pleasure


Teria colocado a Julia Quinn aqui se já não a tivesse citado quando falei de livros que me confortam... Assim é que me decidi por outra autora muito divertida, exatamente no estilo romance-folhetim.

Começou assim: a Ísis me mandou um e-mail perguntando se eu já tinha lido alguma coisa da Lisa Kleypas, acrescentando um trecho do que ela tinha lido, com metáforas envolvendo cenouras e salada – num episódio que ficou posteriormente conhecido numa conversa pelo Skype como “A Cenoura do Amor”.

Após ter rolado de rir e respondido que não, não conhecia ainda a autora, ela decidiu me mandar o livro de presente de aniversário.

É claro que com a Ísis você nunca pode esperar apenas parte do serviço, e ela me mandou foi os cinco livros que formavam a série contando a história dos irmãos Hathaway.

A coisa está fazendo tanto sucesso entre as mulheres do clube do livro que começou a circular de mão em mão. Ou começará tão logo eu os envie emprestado para a Régis...

Difícil foi escolher um só dos títulos para colocar aqui. Mas, finalmente, decidi-me pelo Married by Morning, porque o Leo é meu irmão favorito dos Hathaway, apesar de todo o comportamento auto-destrutivo dele no primeiro livro.

Não consigo resistir a personagens sarcásticos. Não tem jeito, eles podem ser politicamente incorretos, vilanescos, horrorosos... mas sempre terminam como os meus favoritos.

Nesse livro, que é o quarto da série (e não é o das cenouras), Leo, Lorde Ramsay, o mais velho na excêntrica família dos Hathaway, acaba se aproximando da governanta de suas irmãs, Catherine, que aparenta ser uma solteirona de língua ferina que sempre está disposta a dizer umas poucas e boas para ele.

Na verdade, há mais no passado de Cathy do que se aparenta (é um passado negro, negro) e estão lá todos os elementos de um bom novelão; incluindo a sedução da donzela, o seqüestro da donzela, o resgate da donzela pelo mocinho (tudo bem que não é muito normal que a donzela tenha sido completamente dopada de ópio pelo vilão de bigodes retorcidos e esteja andando pelo telhado...) e um final feliz temperado por um furão enamorado de meias de seda.

Gosto muito do furão... Não sei qual prefiro como herói, se ele ou o Leo.

Independente disso... a série dos Hathaway me levou literalmente às lágrimas de riso e ao risco de concussão (eu rolei para fora da cama gargalhando...). Recomendado para todos que gostam de um romance temperado de um bocado de humor...

____________________________

E aproveitando o ensejo já que estamos por aqui, não deixem de participar da pesquisa de opinião para o balanço de final de ano de D. Lulu!



A Coruja


Arquivado em

____________________________________

 

4 comentários:

  1. Conversa no skype que ainda tenho salva, por sinal. Assim que eu puder tirar algum proveito dela, divulgarei-a nos meios apropriados... xD

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro. Parece ser interessante. Romances-folhetins são tudo-de-bom!

    ResponderExcluir
  3. eu nao achei esse livro para baoxar, mas achei outros dela... vamos ver...
    agora, ja leu "Sempre". da Lyndsa Sands? chorei de rir!!! vale a pena!!
    devo um comentário em Ases! nao passa dessa semana - quero reler os 3 ultimos capitulos antes de comentar...
    beijos!

    ResponderExcluir
  4. Deh, nos meios apropriados foi ohtimo! XD

    Lulu, fiquei realmente feliz de você ter gostado a esse ponto! :D

    E sim, hehehehe, nunca espere parte do serviço... HUAHUAHUA!

    Eu a converterei à seita!!! XD

    Poxa, essa mulher tem muita coisa publicada! >.<
    Não acho que chegue à quantidade da Quinn, mas ainda assim é mais que nós! *INVEJAAAAAA

    SIIIIIIIM, LEIAM KLEYPAS!!! \o/

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog