8 de julho de 2010

Desafio Literário 2010 - Julho: adaptação para o cinema

Soluço engoliu em seco. Ele sabia muito mais sobre dragões do que qualquer outra pessoa ali. Desde pequeno era fascinado por essas criaturas. Passara horas observando-as, escondido. (Os observadores de dragões eram considerados nerds, por isso mantinham suas atividades em segredo.) E tudo o que Soluço aprendera sobre dragões lhe dizia que entrar em uma caverna com três mil deles seria loucura.

Mas ninguém parecia muito preocupado com isso.

Aparentemente, o tema desse mês – ou, ao menos, dessas primeiras semanas de julho – é dragões. Deve haver alguma motivação inconsciente do meu subconsciente por trás disso... Quem sabe? Freud deve ter uma explicação...

Ok, vamos ao livro do mês para o Desafio Literário... Como treinar o seu dragão é um livro bem leve, divertido, que me fez lembrar dos meus dias de criança (agora me senti velha...). Devorei ele todo de uma vez numa tarde de domingo, rindo sozinha, como sempre.

Dia desses, minha mãe (que já chegou à conclusão de que sua filha tem uns parafusos a menos) vai acabar mandando me internar, de tanto que eu rio e falo sozinha...

Resumo rápido da história:
Como Treinar o seu Dragão conta a tumultuada jornada de Soluço em sua iniciação como um legítimo guerreiro viking: junto com os outros garotos da tribo, ele precisa domesticar e treinar o dragão mais feroz e assustador que for capaz de capturar. Em vez disso, Soluço acaba com o menor dragão que já se viu - e, para piorar, o animal é teimoso, impossível de ser adestrado e completamente banguela. Começa aí a aventura do mais encantador e improvável dos heróis e de seu dragão muito mal-educado.

Inteiramente ilustrado, com muita ação e o tipo de humor que arranca gargalhadas até dos mais carrancudos Como Treinar o seu Dragão é o primeiro livro de uma série que é sucesso mundial, escrita e ilustrada pela inglesa Cressida Cowell, autora premiada de obras infantis e infanto-juvenis.
A linguagem é bem simples, os personagens têm umas excelentes tiradas e eu simpatizei particularmente com Soluço – aquele que se torna herói pelo caminho mais difícil. Eu só ainda não sei o que fazer de Banguela – acho que terei de ler os próximos livros para chegar a uma conclusão se o dragãozinho é um grande FDP ou um bom amigo...

Bem, para ser completamente sincera, a natureza egoísta, mesquinha e maquiavélica dos dragões foi uma das coisas que mais gostei na história. Eles não são criaturas quase angélicas (como já vi algumas séries retratá-los), têm seus defeitos de personalidade e suas qualidades.

Pensei até na possibilidade de dar o livro de presente para uma das minhas sobrinhas... mas não sei se elas apreciariam a quantidade de sangue, entranhas e outros fluidos que aparece na história...

Terminado o livro... fui assistir o filme. Afinal, a idéia do Desafio Literário desse mês era um filme que tivesse sido adaptado para as telinhas – e claro que comentar o filme seria um requisito da resenha desse mês.



A conclusão a que cheguei lendo o livro e assistindo o filme foi... são histórias completamente diferentes. Sério mesmo que o filme foi baseado no livro? Porque, exceto pelos nomes, eu não vi quase nada que batesse entre as duas narrativas.

Bem, seja como for... esse foi um dos raríssimos casos em que preferi o filme ao livro. Não porque um seja melhor do que o outro, porque, como já disse, ambos têm histórias praticamente díspares (ainda não entendi a lógica disso, mas tuuuuudo bem...); mas o filme tem uma abordagem mais crítica, mais madura.

Enquanto no livro, os jovens vikings devem domesticar um dragão, no filme, lutar com dragões é um verdadeiro estilo de vida. Soluço, que continua tão desastrado quanto sua contraparte literária, acaba conseguindo acertar por acaso um Fúria da Noite, mas, incapaz de matar a criatura, forja uma amizade com o dragão, a quem chama de Banguela.

E de matador, ele se transforma num... domador.

Eu adorei o filme, de verdade, especialmente aquele final. Fica a dica!

Nota: 4
(de 1 a 5, sendo: 1 – Péssimo; 2 – Ruim; 3 – Regular; 4 – Bom; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: Como treinar o seu dragão
Autor: Cressida Cowell
Editora: Intrínseca
Ano: 2010
Tradutor: Heloisa Prieto
Número de páginas: 224

A Coruja


____________________________________

 

5 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro. Curto histórias juvenis. Só ainda não li, pq outros livros estavam na frente.
    Bjim!

    ResponderExcluir
  2. QUero tanto ler esse livro, e claro olhar o filome.. Bah to super curiosa.
    ADorei a resenha!

    ResponderExcluir
  3. Que fofo!
    Pena que o livro e o filme ficaram diferentes, né?
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. eu quero ler esse filme!
    Já li resenhas ótimas a respeito!
    Não assisti o filme tb, mas falam que tb é bom...
    Pelo menos, esse livro eu já comprei e falam que o segundo é melhor ainda...

    ResponderExcluir
  5. Bacana a sua resenha! A relação entre literatura e cinema sempre foi marcada por encontros e desencontros.

    Beijocas

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog