10 de maio de 2016

O Bode Leu: Encontro com Rama


Em um futuro não tão distante, a humanidade se dispersou pelo resto do nosso sistema solar. A Organização das Nações Unidas foi suplantada pelo Conselho Consultivo Espacial, que, após o choque de um meteoro gigante contra Europa (a lua, não o continente) que resultou em trilhões de dólares em danos e centenas de milhares de mortos, implantou o programa Spaceguard, contra novos choques desta proporção. Eis que dos limites do sistema solar surge um asteroide colossal, batizado como Rama.


Escrito pelo renomado autor de ficção científica Arthur C. Clarke, Encontro com Rama foi publicado inicialmente em 1972 e foi amplamente aclamado pela crítica. Clarke se utiliza de muita ciência para desenvolver as descrições de Rama, assim como todos os desafios encontrados pela equipe de exploração. O livro é um principais exemplos da chamada "ficção científica hard", extremamente pautada e fiel à princípios e teorias científicos.

Interior de Rama.
As descrições de Rama são extremamente fascinantes, por toda a sua estranheza e, ao mesmo tempo, familiaridade. Se me perguntarem, não deixam nada à desejar em relação aos cenários insanos de Lovecraft, por exemplo. Não é simples imaginar como um cilindro de cinquenta e quatro quilômetros se comporta, mas Clarke conseguiu fazer isso, com diversos detalhes e minúcias. Só a descrição do Mar Cilíndrico é capaz de torcer a cabeça de uma pessoa menos imaginativa.

O livro em si foi criado como uma instância única pelo autor, a despeito do imenso gancho para continuação deixado no final. Tal gancho foi aproveitado por outros autores que, com consultoria de Clarke, escreveram três outros livros, que são bem mais suaves no aspecto científico. Não os li ainda, e não sei se o farei, então não posso comentar muito mais sobre eles, além do fato de que existem.

Este livro teve um valor sentimental muito grande para mim, pois minha edição física foi presente de um grande amigo, que faleceu pouco tempo depois de eu receber. Digo que foi um presente fantástico, e que é uma grande recomendação para todos os fãs de ficção científica mundo afora.

O Bode


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Eu ganhei esse livro do mesmo amigo e estive lendo em março. Absolutamente fascinante... Boa resenha, Dé. Agora só fica um pouco da melancolia de não poder comentar com ele sobre o livro - era um dos favoritos de Duda...

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog