22 de maio de 2015

Heróis de Papel - Capítulo 02


Capítulo 02

Final de Janeiro (Ano 1)

Prezado Alex,

Em primeiro lugar, ofereço minhas mais sinceras desculpas por não o responder mais cedo, e tê-lo assim deixado quase meio ano na angústia da espera.

Mudei-me há pouco tempo, mas não havia olhado a caixa de correio até dois dias atrás, ou teria descoberto mais cedo três de suas cartas (não sei se há mais que isso, mas, até agora, chegaram três). De outra forma, tê-las-ia respondido mais cedo.

Eu sinto muito lhe informar, mas muitos dos que moravam na cidade (e nas vizinhas) foram evacuados por volta de agosto do ano passado. A maioria permitiu-se evacuar, e, desses, a maior parte não voltou. Infelizmente, sua amiga Alice não estava entre a minoria. Ou, pelo menos, se estava, não voltou para o mesmo endereço.

Tanto é que, desde o começo deste mês de janeiro, eu o tenho ocupado.

Perdoe-me por ter interceptado suas cartas. Passei o olho sobre elas para assegurar que não se tratava de nada que dissesse respeito à segurança nacional (são tempos estranhos esses), e também para saber se poderia achar o(a) destinatário(a).

Pelo pouco que busquei, não tive sucesso em localizar sua Alice. Admito, contudo, que a empresa que aluga esta casa não foi muito cooperativa em fornecer-me os dados pessoais da moça, e tampouco quis encarregar-se de encaminhar as cartas para ela. Em resumo, alegaram não saber seu endereço atual, e, devido aos tempos caóticos em que vivemos, não sei se acredito, ou não. Só espero que defendam com o mesmo afinco os meus dados também...

Eu posso, se a oportunidade surgir, tentar mais uma vez, quando qualquer semelhança de racionalidade e logística for reestabelecido. No momento, porém, tudo o que posso oferecer são palavras de agradecimento por estar entre aqueles que nos protegem, por ter a coragem de assumir a linha de frente e defender tanto este país, como seus nacionais.

Podem parecer palavras vazias, mas lhe garanto que tenho convicção em cada uma delas: por favor, não permita que essa guerra lhe roube o sonho de ser médico. Se for isso que realmente deseja, se é isso que tem desejado desde sempre, não permita que, o que quer que veja ou o que quer que viva mude isso, senão eles terão nos vencido. Transforme isso em forças, e impulsione seu sonho.

Por favor, não se permita ser vencido. Lute por nós, que ficamos para trás para manter esse país da forma como nossos soldados o deixaram. Entretanto, mais importante ainda, lute por você mesmo. Pelo seu sonho. Se ele mudar, que mude; o sonho é seu e só você deve comandá-lo. Mas não permita que, além da nossa pátria – e tudo o que ela representa –, eles roubem nossos sonhos.

Seja forte, e cuide bem de nossos garotos.

Sinceramente,
David.


____________________________________

 

5 comentários:

  1. "por favor, não permita que essa guerra lhe roube o sonho de ser médico. Se for isso que realmente deseja, se é isso que tem desejado desde sempre, não permita que, o que quer que veja ou o que quer que viva mude isso, senão eles terão nos vencido. Transforme isso em forças, e impulsione seu sonho." T.T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. David é bem inspirador, não é verdade?

      Mas a pergunta que não quer calar é... Qual vai ser a reação do Alex ao saber que Alice sumiu do mapa?

      Excluir
    2. A resposta já está no ar. ^^

      Excluir
  2. COMO ASSIM NÃO TEM ALICE? E eu juro que enquanto lia, achei que era outra mulher respondendo... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahuahuahuahua!!!! Adorei a reação!

      Queríamos mesmo fazer essa surpresa. Agora... é esperar para ver o que acontece com a Alice... onde será que ela está? Será que David conseguirá encontrá-la?

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog