5 de março de 2013

Conversas Sobre o Tempo: Coisas que me Irritam

Faz um bocado de tempo que não ventilo minha rabugice e mau humor por aqui – o que é engraçado, porque quando comecei o Coruja, minha idéia para ele era de um depósito para todo tipo de pensamento que me passasse pela cabeça, desde divagações sobre nimbostratus e cumulonimbus que trafegam por este nosso céu de anil até declarações apaixonadas de amizade passando por minhas opiniões acerca da raça humana em geral e das pessoas que convivem comigo em particular.

Escrever, para mim, é uma válvula de escape na panela de pressão: antes que eu acabe explodindo com toda a pressão acumulada, venho resmungar algumas linhas e sinto a calma, se não restabelecida, ao menos um pouco mais presente.

Volta e meia solto meio estarrecida o comentário de que, a despeito do que possam acreditar, eu ainda não estou fazendo milagre. Eu tenho uma fama de ser organizada, de cumprir prazos com antecedência, de estabelecer roteiros e guias de viagem, de fazer listas e acumular funções. Também não sou muito particularmente paciente e se repasso uma tarefa para alguém, quero que esse alguém a cumpra no mesmo tempo hábil que eu o faria e se ela demora mais do que acho aceitável, acabo pegando a tarefa de volta e por conseqüência me enterro em ainda mais carga.

E a verdade é que não sei viver de papo para o ar sem fazer nada. Não é brincadeira minha quando digo que adoeço quando tiro férias – ficar sem fazer nada, sem me ocupar, me deixa meio maluca e acaba me provocando crises de gastrite e insônia.

Vá entender...

Mas o fato de que só sou feliz se tenho algo com que me ocupar não significa que eu não me irrite quando deixam tudo para eu resolver sozinha. Especialmente a se considerar que eu tenho outras coisas com que me ocupar além daquilo. Está dando para acompanhar ou estou aqui só falando sozinha?

Bah, tem problema não se eu estiver falando sozinha... até porque, eu reconheço que estou sendo particularmente chata hoje. E é por isso mesmo que vim escrever isso, antes que eu acabe batendo no primeiro pobre coitado que me bata à porta. Então, sem mais delongas, eis uma lista de coisas que me irritam, numa ordem não particularmente hierárquica:

1. Eficiência não é o equivalente do milagre da multiplicação. Se eu já estou com uma pilha de problemas em cima da minha mesa, não venha me interromper para falar de uma coisa que você pode resolver sozinho com um telefonema. Aliás, eu detesto telefones. Não, é sério: eu realmente detesto telefones. Não me peça para resolver problemas por telefone, isso me irrita. E faça sua parte porque sou realmente só uma pessoa.

2. Se tem alguma coisa para me passar para que eu resolva, não o faça no último dia. Sério, eu detesto fazer coisas no último dia. E responda as drogas dos emails que eu te mando pedindo pelo amor de deus que me deixe fazer as coisas para você. Porque sou sadomasoquista, sabe como é...

3. Mesmo que você ache que sou especialista em determinado assunto (cá entre nós, eu não sou uma especialista em absolutamente nada), se vamos fazer alguma coisa juntos, não largue todas as decisões por fazer nas minhas costas. Se eu pergunto “o que você quer ver”, tenha uma lista pronta e não me diga “qualquer coisa que você achar que valha à pena”. Isso me irrita profundamente, porque me dá a impressão de que estou sendo profundamente egoísta e arrastando você para lugares que você não fazia a menor questão de ir. Aliás, se depois de deixar que eu escolha para onde ir, você reclamar porque só penso no Borges ou outro objeto qualquer, vou te deixar falando sozinho.

4. Não fique me cobrando resultados se não fez sua parte de deixou tudo para que eu decidisse. E na última hora.

5. SE TE PASSEI UM PRAZO, CUMPRA. Eu já sou ruim de delegar tarefas, então não me decepcione e me faça descobrir que não posso contar com você. Não importa se seja do trabalho, se seja para viajar, se é para mandar documentos ou responder um bendito email. Não me venha na véspera do prazo para dizer que não deu conta e se eu posso fazer por você porque tem outra coisa que surgiu como prioridade – especialmente se te dei amplo espaço de tempo para que você desse conta daquilo. O que eu mandei fazer é prioridade até prova ao contrário!

6. Se já te passei o trabalho todo mastigado, toma vergonha na cara e pelo menos resolve a formatação. Sério, é só o que você tem de fazer.

7. De novo, porque vale à pena repetir: não espere milagres.

8. Tem um roteiro passo-a-passo de como fazer. Tem um manual. Tem um fórum de perguntas. LEIA ANTES DE FAZER BESTEIRA. Não fique tentando adivinhar para onde vai. Não aceite fazer um negócio se não tem intenção de ir até o fim.

9. Não me venha se incluir nos planos que já estão fechados, organizados, planejados, pagos. Não me force a fazer todo o serviço pela segunda vez. E sozinha, porque você obviamente quer entrar quando a coisa já está toda mastigada e encaminhada.

10. Não me encha as picuinhas com teorias de conspiração para justificar o fato de que não fez sua parte. Só aceito desculpas de ‘estou sendo perseguido’ se você for esquizofrênico. Ou tiver enfurecido algum mafioso. Se eu consegui arranjar tempo para fazer algo em que sua única contribuição é finalizar ou publicar ou mesmo divulgar, não me venha dizer que você não tem tempo, que essa não cola.

11. Eu já reconheci: tenho problemas em delegar. Então que tal demonstrar um pouco de iniciativa em vez de ficar esperando de braço cruzado que eu te mostre o que você tem de fazer?

12. Em caso de Lulu irritada, ofereça uma barra de chocolate e deixe-a em paz no canto dela. Eventualmente ela vai parar de resmungar ameaçadoramente, fazer careta e flexionar dedos em direção a sua garganta.

De resto, escrever esse post, mandar um bocado de alfinetadas e indiretas para o ar me ajudou a restaurar um pouco meu humor. Não fiquem bravos comigo, às vezes é preciso desabafar e fazer terapia em grupo. Se sobra para vocês serem os terapeutas...

E agora voltamos a nossa programação normal...


A Coruja


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Esqueci de dizer que a demora do correio em entregar encomendas também anda me irritando MUITO. Se correio fizesse o favor de entregar hoje minha última encomenda, isso faria maravilhas para me deixar feliz, alegre e contente.

    ResponderExcluir
  2. "Em caso de Lulu irritada, ofereça uma barra de chocolate e deixe-a em paz no canto dela." -- eu ri muito disto, desculpa. Aproveita que é quase páscoa e faz a festa no supermercado. Chocolate realmente alivia algumas tensões...

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog