27 de setembro de 2010

Para ler: Guardiões de Ga'Hoole - A Captura




Além disso, Soren sabia outra verdade: Lendas não são apenas para os desesperados. Lendas são para os bravos.

Kathryn Lasky - A Captura


Quando eu abri o envelope do Dé e dei de cara com uma coruja olhando de volta para mim, não tive dúvidas: caí na gargalhada. Que coisa melhor do que mandar de presente de aniversário para moi um livro de ficção fantástica sobre corujas?

Finalmente essa semana eu tive um tempinho (depois de terminar minhas leituras e releituras arturianas) para folhear despretensiosamente esse primeiro de uma série de quinze livros (ai, meu bolso...) e descobrir afinal do que se tratava a história.

Quero dizer, ao final da última página, que foi uma paixão fulminante. Digo agora, aqui, que se algum dia eu tiver um filho, eu o batizarei de Soren.

Em A Captura nós somos primeiro apresentados a Soren, um filhote de Coruja-das-Torres. Soren vive com sua família, seus pais, o irmão mais velho Kludd, que não é lá flor que se cheire, a irmã caçula tagarela Eglantine e a cobra cega que serve como criada da família, Mrs. Plithiver.

Era uma existência bem feliz a que Soren tinha, até um belo dia ele cair do ninho e, sem saber ainda como voar, acabar por ser capturado - mas não por algum predador natural e sim por outra coruja. E ele não é o único - antes de chegar ao seu destino, ele irá conhecer Gylfie, uma mocho-duende (a menor espécie de corujas), que se transformará em sua melhor amiga e parceira em tentar desvendar o que realmente está acontecendo na Academia St. Aegolius para Corujas Órfãs, bem como fugir daquele inferno - uma versão passeriforme de Alcatraz - com direito inclusive a lavagem cerebral.

E eu que comecei jurando que era um livro para crianças...

Para conseguir manter a sanidade num lugar que tenta a todo custo anular sua memória, seus sonhos, sua própria identidade (a substituição dos nomes por números me lembrou os campos de concentração...) Soren e Gylfie têm além de sua própria vontade de resistência, Histórias: os Contos de Yore, como chamava o pai de Gylfie; as lendas de Ga'Hoole como Soren conhecia.

E mais que apenas contar as histórias, eles acreditam nelas. Porque lendas, como diz o pai de Soren, são histórias que você começa sentindo em seu âmago e com o tempo, elas se tornam verdadeiras em seu coração.

Só por isso, já vale muito à pena ler o livro (os quinze, se eu der conta...).

O filme está previsto para estrear aqui no Brasil dia 08 de outubro. Preciso dizer que já assisti esse trailer pelo menos umas cinco vezes e fico toda arrepiada a cada repetição?




Mãeeeeeeeeeeeeeeeeeee, eu queeeeeeeeeeeeroooooooooo!!!!!



A Coruja


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Ainda bem que gostou, Lu! ^^

    E eu juro que não pretendia acabar com as tuas finanças quando mandei o livro. Só depois de ter comprado que fui descobrir o tamanho da série.... Estou procurando os e-books, pra tentar aliviar o (futuro) rombo na conta bancária. Assim que encontrar, te mando!

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog