23 de novembro de 2009

De histeria coletiva, técnicas de marketing e tanquinhos assim... quase uma Brastemp





Da Histeria Coletiva

Abro o jornal na sexta-feira e logo entre as manchetes principais do dia, há uma pequena nota sobre a pré-estréia de Lua Nova no dia anterior. Dizia a notícia que houve gente que passou até sete horas numa fila não para comprar os ingressos, mas para poder entrar na sala de cinema - os ingressos tinham sido vendidos antecipadamente obviamente (salvo engano, eles começaram a vender pelo menos um mês atrás).


Mais tarde, converso com a cunhada, com quem eu combinara de assistir o filme nesse fim de semana - o último antes dela começar a bateria de provas do vestibular. Nosso programa foi por água abaixo porque, aparentemente, os ingressos estavam esgotados até quinta-feira.

Lembro então de quando fomos assistir Crepúsculo ano passado. Assistimos na estréia, meu irmão foi junto, o cinema estava cheio (mas a gente comprou o ingresso no dia e não tinha nenhuma quilométrica fila...) e foi um dos programas mais divertidos que já fizemos em família.

Isso se deveu, é claro, às garotas histéricas que não podiam ver o Robert Pattinson que começavam a gritar. Uma hora, meu irmão se irritou, virou-se para gente e disse entre dentes "se não pode contra elas..." Depois disso, Felipe era quem gritava mais alto no cinema que amava Edward Cullen.

Eu tive que assistir o filme de novo, depois, para poder entender alguma coisa, porque na hora estávamos muito ocupados rindo de nos acabar de Felipe com vozinha de falsete e do pisca-pisca quebrado do Edward.

Técnicas de marketing

Não muito longe de casa, há uma concessionária de automóveis que vende, entre outras marcas, Volvo. Eu nunca tinha prestado muita atenção na concessionária antes - mas hoje, quando o carro parou no sinal, ficamos do lado da concessionária e mal relancei os olhos de lado...

Havia um Edward Cullen lá dentro.

Será que alguém já comprou um volvo prateado porque Edward dirige esse carro? Se é assim, quero um Bentley preto com rádio de fita cassete.

E se não entendeu a referência, vá ler Belas Maldições.

Tanquinhos, tanquinhos...

Obviamente que apesar da história dos ingressos esgotados, eu já dei um jeito de assistir Lua Nova. De uma forma geral, eu gostei do filme; era o que eu esperava de uma adaptação do livro em questão.

Faço apenas três observações acerca do assunto, porque tenho certeza que ainda tem muita gente que assistiu e é melhor que cada um forme seu próprio entendimento sobre o assunto. Da minha parte, digo que:

(1) atuações marcantes de Pattinson e Stewart. Eu não consigo me decidir se, na maior parte do tempo, Edward está com dor de barriga, enjoado com o cheiro da Bella ou sei lá o quê. E o que diabos é que a Bella revira tanto os olhos e faz careta quando pede um beijo?

Eu já disse antes quando comentei do trailer que aquela arqueada de sobrancelha dela era uma coisa esquisita. Agora o revirar de olhos meio vesgo... Ela faz isso na cena em que Jacob a salva de morrer afogada... e, pensando bem, também faz isso quando Edward suga o veneno de James no primeiro filme.

É sério, pode prestar atenção, is creepy.

(2) já disse isso antes, e bem mais de uma vez, mas vou repetir: para mim, uma boa adaptação não é aquela que segue vírgula por vírgula da obra adaptada, mas que conserva a essência da mesma. Nesse aspecto, eu aplaudo Lua Nova.

Faço apenas uma ressalva, e não sei se chega a ser exatamente uma crítica... Eu acho que teria sido legal se tivessem desenvolvido mais a parte em que Bella e Edward se reencontram em Volterra.

Essa cena, no livro, mostra Edward achando que morreu e foi para o céu, onde se reencontrou com Bella, enquanto ela tenta, desesperadamente convencê-lo de que é real e está viva - e, mais tarde, pelo contrário, ela acha que está sonhando quando o encontra em seu quarto, e Edward tenta convencê-la de que ela está acordada e que ele não vai mais deixá-la.

No filme, ela praticamente voa para cima dela, e quase de imediato eles já estão novamente trocando juras de amor e ela acredita que ele nunca deixou de amá-la e blá, blá, blá...

Tudo bem que desenvolver essa parte acrescentaria mais meia hora de filme (no mínimo), mas teria ficado melhor retratar essa insegurança dos dois... fora que tem a epifania da Bella, cena em que morri de dar gargalhada quando lia o livro.

"Oh, eu entendo agora... você me ama"

*Não diga... só agora você percebeu? Bate a cabeça na árvore, Bella*


(3) A parte mais legal, que me deixou de boca aberta e ansiosa pela terceira parte da saga foi os lobos. Os efeitos especiais estão muito bons, não apenas os lobos parecem bastante críveis, como a própria transformação deles é... uau!

Bem diferente dos lobos de Underworld... Digo isso porque assisti o segundo Anjos da Noite esse fim de semana e a comparação me veio de imediato quando estava assistindo Lua Nova

Falando em Underworld, alguém mais acha divertido o fato de que o lobo máximo Lucian seja o vampirão Aro... e também, em outras encarnações, o primeiro-ministro Tony Blair e o jornalista David Frost?

Acho Michael Sheen um ator incrível, realmente.

Mas eu não quero falar do Aro ou dos Volturi, porque eles não me deixaram uma impressão tão grande quanto a dos lobos. A verdade é que o Taylor Lautner roubou completamente a cena - e isso me surpreendeu.

Eu gostei da atuação dele - Taylor realmente deu vida ao Jacob, a personalidade aberta, alegre, brincalhona e às vezes meio sem noção do Jacob original do livro. Ele ficou especialmente bem depois de dar fim àquele cabelão meio esquisito...

Na verdade, o alcatéia, como um todo, foi divertida de ver - e esse é um dos motivos de querer que Eclipse venha logo, porque o terceiro volume da saga traz um desenvolvimento maior dos personagens quileutes, até mesmo com seu envolvimento com os Cullen.

Só fica, nessa história toda, uma única dúvida... Aquela barriga dos lobos é natural ou eles também tiveram um retoque do Departamento de Computação Gráfica? Putz, dá para contar pacotinhos de músculo nos peitorais dos caras!

Tenho certeza que muitas garotas debandaram para o Time Jacob na esperança de lavar roupa naquele tanquinho....

Ok, e esse foi um comentário cretino. Mas eu sei que vocês amam meus comentários cretinos! É só por isso que vocês sempre voltam... huahuahuahuahua...

Agora, Lulu está indo estudar. Hasta la vista!


A Coruja


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Meu bem, e qual você acha que é a motivação da tia aqui para assistir Lua Nova, senão aqueles tanquinhos, computadorizados ou não??

    Mr, Pattinson é tão expressivo quanto uma bolacha água e sal. Fica difícil escolher entre ele e aquele ator que faz o aborrecente Anakin Skywalker...

    Aquela carinha da Bella quando se aproxima do Edward no cinema deve ser por conta da fragrância "Sem Banho Há Semanas" que nosso amigo Rob Pattie adora exalar por aí.

    Deus tá vendo.

    Beijocas!

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog