29 de dezembro de 2015

Conversas Sobre o Tempo: 2015 - O Ano da Hibernação

Lulu: Estamos chegando aos últimos suspiros do ano e como de hábito, é época de refletir sobre o que fizemos ao longo desse tempo e o que temos planejado para o que vem à frente.

Vou começar meu balanço sendo já bastante sincera: 2015 foi um ano meio complicado pra mim (não foi para todos?), ao longo do qual não acho que fiz muita coisa de particularmente útil exceto empurrar com a barriga o que eu já tinha como responsabilidade para não parar de vez, me enfiar debaixo da cama e hibernar.

Boa parte do problema se deveu à saúde. Terminando dezembro acabo um tratamento de seis meses com uma medicação que para além do bem que eventualmente fez, trouxe uma série de complicações. Sério, faz seis meses que não sei o que é viver sem dor... E às dores nas articulações somaram-se as alterações de humor e de outubro pra cá meio que passei os dias tentando me controlar para não tacar copos na cabeça das pessoas ou cair aos prantos à menor provocação (ou mesmo sem qualquer provocação).

Por conta disso, nem sempre conseguia juntar empolgação suficiente para tocar qualquer projeto novo à frente. Ao passo que no ano passado eu sentava uma vez por mês para escrever dez, quinze posts ou histórias para o Coruja, esse ano houve mais de uma ocasião em que houve dias que tive de me obrigar a sentar e escrever para publicar no mesmo dia.

Felizmente, tratamento está praticamente no final, médico me garantiu que uma vez tendo terminado de tomar o remédio minhas taxas vão voltar todas ao normal e serei em 2016 a Lulu neurótica que todo mundo conhece e morre de medo.

Para além disso, teve a mudança de apartamento no meio do ano. Durante os meses que antecederam a mudança, a ansiedade em relação a ela me fez adiar vários projetos ‘para quando estiver na casa nova’. Então eu basicamente não fiz nada no primeiro semestre porque ia me mudar e não fiz nada no segundo semestre por causa do remédio.

*suspira*

Não posso dizer que 2015 foi completamente perdido, contudo. Houve coisas boas: deixei por definitivo meu sedentarismo para trás – completo em janeiro um ano de pilates e não perdi uma semana de exercício! Sério, entrar para o pilates foi a melhor idéia que tive esse ano: finalmente encontrei um exercício que gosto (muito) de fazer.

A mudança também foi uma coisa boa – embora os primeiros meses tenha sido um estranhamento só e ainda haja algumas coisas para melhorar (em especial meu vizinho de cima terminar a reforma e parar de martelar minha cabeça toda vez que decido tirar um cochilo depois do almoço).

Setembro teve nossa escapada para Salvador, que foi uma viagem muito agradável, outubro foi a festa da família em Maceió e agora em dezembro passei quase uma semana em São Paulo, num roteiro mais nerd, impossível – com direito a encontros em terceiro grau com a Dani.

Ísis: Vocês viajam bastante em família... Que inveja!!! >.<  

Lulu: Ainda não tanto quanto eu gostaria - a Dani está me devendo faz bens uns três anos uma visita à Recife... Enfim, ainda escreverei sobre São Paulo, mas não acho que vá ao ar ainda esse ano...

O projeto do clube do livro continuou de vento em popa e completamos cinco anos de encontros para falar de literatura clássica. E tivemos de tudo um pouco: ufólogos a compartilharem suas experiências vendo criaturinhas de outros planetas; convidadas internacionais em encontros bilíngues, o Dé importado de Fortaleza para falar do Pratchett...

A agenda de leituras do ano que vem já foi fechada e está bem interessante, começando com os mortos-vivos de Érico Veríssimo e terminando com o Romeu de Shakespeare – e quem me conhece já sabe que estou contando os dias para descarregar todo o meu desprezo por Romeu no debate...

Creio que esse seja o resumo do meu balanço... 2015 me parece ter sido um ano de transição – e talvez eu precisasse de algo assim, que me forçasse a desacelerar um pouco (embora não tanto...). Espero que 2016 possa ser um ano mais animado e que eu possa levar a bom cabo os projetos com que estive sonhando nessa minha hibernação.

Ísis: Ou seja, você não gostou da desaceleração e vai querer catar sarna para recuperar seu estado anterior de coceira... >D

Bem, quanto a mim, também considero o meu ano improdutivo, ainda que tenha entregue a dissertação, defendido-a e obtido meu diploma de “mestre”! HÁ!

Mas a subsequente tese de doutorado não caminhou nada durante esse ano todo e estou me odiando por isso... >.< Entretanto, vários foram os pontos positivos (fora a graduação):
• Meus pais vieram me visitar e estiveram aqui para a formatura
• Fiz um estágio com a ONU,
o fui à Rússia em decorrência dele,
o e aproveitei para visitar uma amiga muito querida na Sibéria.
• Outro muito bom é que reorganizei minha alimentação.
• Assim como a Lu, saí do sedentarismo. Mas no meu caso só fazem sete semanas (três centímetros em quase tudo e 7 quilos a menos).
• Acho que esse ano não aprontei nada de “fantástico” demais aqui no Coruja, então ainda estou viva. Isso é sempre bom... preciso tentar manter esse ritmo. Salve a Rainha!
Despeço-me de 2015 com um sorriso, porque, aconteça o que acontecer nesse(s) país(es), e lá fora, sorrisos abrem portas, e quero a de 2016 escancaradamente aberta.

10 Resoluções da Lulu

1. Conseguir colocar a cabeça no lugar e voltar ao meu nível habitual de escrita e leitura.
2. Continuar o pilates e somar uma atividade aeróbica que me ajude com questões de respiração e condicionamento.
3. Conhecer Curitiba e Foz do Iguaçu: são as duas viagens que quero fazer no novo ano. (Ísis: \o)
4. Participar do NaNoWriMo.
5. Estudar.
6. Continuar não torcendo o pescoço da Dani por causa de eventuais atrasos e da Ísis por suas idéias ‘fantásticas’. (Ísis: Sim, por favor!)
7. Parar de comer tanta besteira na rua e assim tomar menos remédio para estômago.
8. Ser um pouco menos antissocial. Não muito, só um pouco menos.
9. Tentar ser um pouco menos estressada com prazos.
10. Começar o ano assistindo SHERLOCK (FINALMENTE!!!! Ísis: E por acaso tem alguma chance de isso não acontecer? oO)

10 Resoluções da Ísis


01. MANTER a dieta (ou mudar para uma ainda mais saudável) e os exercícios, de forma a alcançar meu peso ideal sem morrer no meio caminho...
02. Achar meu tema específico para a tese de doutorado.
03. Transformar dissertação do mestrado em artigo.
04. Tentar pegar pelo menos um trabalho por trimestre.
05. Avançar a tese o suficiente para poder fazer a primeira pesquisa de campo esse ano, de preferência por volta do Natal para ter desculpa para voltar para o Brasil (ou onde quer que esteja a família) nessa época.
06. Conseguir correr pelo menos 20 minutos sem parar até o final do ano (meu recorde na vida é de cinco minutos... >.>)
07. Terminar pelo menos uma história no momento inacabada e começar um dos benditos livros que há anos planejo escrever! >.< 
08. Visitar pelo menos um dos seguintes países (ou todos, se possível): Coréia(s), Taiwan, Filipinas, [Cambódia, Vietnam e Laos], Moçambique, Turquia, Finlândia ou Austrália. 
09. Começar o preparo para o nível N1 de japonês (e passar em 2017). 
10. Ler pelo menos 1 novel japonês por semestre (esse ano eu comecei dois, mas não terminei nenhum).


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog