28 de outubro de 2011

Na sua estante: a ruiva e o comediante/aviso aos navegantes





#088: A Ruiva e o Comediante (isso não é uma história de amor)
---------------------------------------


De todos os lugares tranqüilos e discretos que poderiam existir para se ter uma conversa séria e que já prometia de início ser também um tanto violenta, André foi achar justamente de se enfiar com Júlia em um banheiro.

Um banheiro feminino, para ser exato.

Talvez porque Murphy acreditasse que a ruiva era o suficiente para o pobre rapaz, ao menos o ambiente estava abençoadamente vazio. Tudo o que ele não precisava para completar seu dia era de garotas histérica.

- O que você estava fazendo com a minha irmã? – ele começou sem nenhum preâmbulo – Isso é algum tipo de vingança atrasada? Por que, sinceramente, Júlia, acho que você deveria ter se sentido satisfeita com o fato de que quase quebrou meu nariz e isso aconteceu faz anos, além disso...

- Você continua achando que o mundo gira em torno do seu umbigo, né? – ela cruzou os braços raivosa – Eu não sabia que ela era sua irmã, seu idiota. E mesmo que soubesse, porque eu deveria me importar com isso? Ela não tem culpa do irmão ser um comediante; e um que não sabe contar piada ainda por cima.

- Você quer parar com essa história de comediante?

- Por que deveria? Você não é engraçado, mas é uma grande piada, André! Sua irmã sabe? – ela sorriu quase maniacamente – Ela conhece seus amigos idiotas da época do colégio e as burradas que vocês faziam juntos?

O rapaz bufou.

- Júlia, isso não tem nada a ver com quem eu andava ou deixava de andar na época do colégio. Beatriz não tem que saber disso; ela não estava nem no país na época e não vejo o que você acha que conseguiria contando para ela. Você sabe tão bem quanto eu que toda essa sua fúria é na verdade...

- Não. Termine. Essa. Frase. – ela disse por entre dentes – Eu não quero ter absolutamente nada a ver com você, André, por mim você pode explodir. Você é um idiota e...

- Júlia, eu nunca traí você enquanto estávamos namorando! – ele finalmente explodiu.

- Não, só deu a desculpa mais idiota do mundo para terminar o namoro e no mesmo dia estava com outra garota sentada no colo. – ela retrucou no mesmo tom – Eu nunca vou perdoar você por ter servido de chacota para seus amiguinhos e...

- Eu não tive nada a ver com aquilo, caramba! Eu nem sabia que você ia para aquela festa! Eu não...

- Poupe-me, André. – Júlia finalmente o interrompeu – Eu realmente não estou a fim de escutar toda essa conversa de novo. – girando nos calcanhares, ela se dirigiu de volta à porta, virando o rosto uma última vez para encará-lo de frente – Antes que eu me esqueça, não vou fingir que não conheço sua irmã só por causa de você. Ela parece ser uma pessoa legal. E existe o bônus de ver você se retorcendo por dentro sem saber o que estou falando para ela.

Com um sorriso quase maléfico, ela deixou o banheiro. André apenas suspirou, encostando-se na parede.

Era só isso mesmo que lhe faltava para coroar um ano que fora excepcionalmente catastrófico: reencontrar uma ex-namorada psicótica.


_______________________________

#089: Aviso aos Navegantes
---------------------------------------

Sofia se desencostou da porta ao vê-lo passar pelo umbral da biblioteca, sua presença súbita fazendo com que o rapaz quase desse um pulo para trás.

- Desculpa, não queria te assustar. – ela murmurou, encarando-o de frente – É Luís, não é? Eu já tinha te visto algumas vezes com a Bia, e ela já tinha falado sobre você, e passamos uma meia hora constrangedora mais cedo, mas ela esqueceu completamente de nos apresentar a todos formalmente. Eu sou a Sofia.

Luís balançou a cabeça em afirmativa.

- A Bia às vezes vive no mundo dela própria, não é?

- Que bom que já percebeu isso, pelo menos. – ela respondeu, olhando-o de forma mais incisiva – Eu vi o papel de carta. Você não precisa me dar nenhuma explicação, mas eu sei.

Ela não precisou completar o que sabia. O rapaz apenas deu um suspiro resignado.

- Você vai contar a ela?

Sofia meneou a cabeça.

- Isso é algo para você fazer, não eu. Mas vou lhe dar um conselho; você pode fazer o que quiser com ele; só leve em conta que conheço Beatriz há muito mais tempo que você e sei como a cabeça dela funciona. Você deveria ter se revelado no começo. Agora talvez seja tarde demais e você vai acabar com um coração partido e uma Beatriz em pânico.

Luís estreitou os olhos.

- Você não parece levar muita fé na sua amiga, não?

Dando de ombros, ela se abaixou para pegar a mochila que deixara escorregar para o chão enquanto esperava.

- Você é quem sabe. Mas o recado está dado. Você decide o que vai fazer agora.



A Coruja


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Genial. Sério, acho que faz um tempo que eu não comento, mas é a única palavra pra descrever as últimas reviravoltas de Na Sua Estante... Simplesmente genial e diabolicamente hilário xD

    E você trouxe uma jornalista pra história. Uma jornalista psicótica ainda por cima... *-* Minha emoção diante deste fato não tem limites.

    Esperando ansiosa pela próxima sexta. Vai haver algum especial de Dia das Bruxas? Seria interessante xD Ah, isso me lembra, já leu esse artigo do Gaiman pro New York Times, do Halloween de 2006? http://www.nytimes.com/2006/10/31/opinion/31gaiman.html?pagewanted=all Eu achei incrível, estou há dias tentando traduzir a sensação em uma história... *¬* Se não tiver lido, espero que ache interessante também... E me desculpe pela fixação com fantasmas, é que eu estou pesquisando pra uma reportagem seguindo a linha do Freyre em Assombrações do Recife Velho, só que sobre Maceió, para a revista que minha turma vai lançar (se Deus quiser) no fim do ano 'xD Em finados a gente vai fazer apuração nos dois maiores cemitérios da cidade (um deles onde fica o túmulo da Mulher da Capa Preta). A coisa sairia mais rápido se eu tivesse coragem de ler o Assombrações do Freyre quando não tem ninguém em casa ç_ç

    De qualquer forma, os últimos posts estiveram ótimos (o Meme Literário com frequência me mata de rir ao identificar situações familiares) e, como sempre, juro que eu estou lendo apesar de não comentar. Ler seu blog me faz tomar vergonha na cara e pensar em atualizar os meus... (é, eu tenho dois agora \o\) O que eu considero uma boa influência, mesmo que faça meses que não atualizo nada...

    Eu culpo a faculdade '-'

    Espero que esteja tudo bem contigo e até a próxima \o

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog