5 de abril de 2016

Tradução - Instruções para o evento de você se encontrar numa história do Neil Gaiman


Trouxe pra vocês no Empilhando no Escaninho #19 link para um artigo do Book Riot com instruções para o evento de você se encontrar numa história do Neil Gaiman. Perguntaram-me se não havia o artigo traduzido e no embalo, se eu não fazia a tradução.

Então que não sou tradutora e fiz algumas adaptações, mas, ei, acho que deu para o gasto ;) Fiquei com vontade de comentar cada uma das instruções com indicações para as histórias, mas, ok, vou me controlar, porque a graça da coisa é vocês mesmos encontrarem as referências. Então vamos lá.

Instruções para o evento de você se encontrar numa história do Neil Gaiman

Originalmente escrito por Andy Browers e publicado aqui.

Seu mundo é cinzento, seu trabalho é maçante, e as pessoas ao seu redor são por demais literais. Deixe-as. Deixe tudo para trás, e parta em uma estranha, maravilhosa jornada para um mundo diferente. Não se preocupe em fazer as malas – tudo o que você precisar será providenciado, e se não estiver lá, haverá ajuda para conseguir depois. Se não houver ajuda, você pensará em algo.

Há um Outro Você, provavelmente membro da sua Outra Família. Eles serão bons com você a princípio, mas eles provavelmente são malignos, a não ser que você já seja o Outro Você, hipótese em que eles serão agradáveis, mas possivelmente meio cinzentos e chatos. De qualquer forma, deixe-os pra trás.

Espere anjos, mas não tenha expectativas para eles. Eles têm seu próprio trabalho a fazer.

Encontre para você um lugar de poder – algum lugar que te conecta exatamente com qualquer que seja a coisa que te faz forte – e respeite o lugar de poder dos outros. Na verdade, evite ir ao lugar de poder de outra pessoa, especialmente se você está bravo com eles e especialmente ao dobro se for o contrário.

Mantenha seu nome em segredo. Seu nome – seu verdadeiro nome – tem sua própria magia, e é melhor não entregar este tipo de domínio para qualquer pessoa. Você saberá do que estou falando.

Você provavelmente não entenderá realmente como as regras da magia funcionam, e não será o único. Aprenda o que puder, e acredite em tudo. Acreditar é muitas vezes o suficiente.

Não há nada pior que ser esquecido, então, não esqueça.

Se for lhe dar a oportunidade de mudar, tome-a. A alternativa não é muito boa.

Você conhecerá alguém com um trabalho penoso que eles sentem estar fazendo desde sempre. Não se aproxime muito, porque eles trocarão de lugar com você tão rápido que você sequer perceberá o que aconteceu até que esteja realizando o trabalho penoso por centenas de anos e de olho em sua própria substituição.

Diga olá para qualquer um cujo sobrenome seja Hempstock. Eles são inumeráveis, bem relacionados, e nunca é demais estar em seu favor.

Preste atenção nos gatos, porque eles definitivamente têm poder. Mas não preste atenção demais a eles, porque eles definitivamente irão te morder. Preste a eles apenas a quantidade certa de atenção. Na verdade, trate-os como gatos normais e você provavelmente estará fazendo certo.

Veja os deuses.

Se você acordar para descobrir que tudo não passou de um sonho, console-se. Os sonhos são a coisa mais real que existe.

E quando você retornar ao seu próprio mundo, você o reconhecerá, embora ele vá parecer menos cinza, menos chato, menos literal. Volte a ele, e diga a todos o que você viu. Eles acreditarão em você. E acreditar é o suficiente.


A Coruja


Arquivado em

____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog