11 de março de 2011

Na sua estante: embriaguez





#054: Embriaguez
---------------------------------------


Ela não deixou que ele respondesse, segurando-o pelas mangas da fantasia – ironicamente, uma túnica angélica, como direito a asas e auréolas – colando os lábios aos dele. Podia sentir o gosto da vodca barata que ele estivera dividindo com os amigos por toda a tarde.

Não, é claro, que ela estivesse em melhores condições. Estivera bebendo sistematicamente desde que Marcos dera seu ultimato.

André quase tropeçou sobre as sapatilhas dela quando Mariana começou a arrastá-lo consigo em direção ao quarto. Ela soltou um gemido ao bater com a cabeça contra a parede, alto o suficiente para despertar até mesmo o rapaz de seu torpor alcoólico.

- Mari? – ele perguntou, piscando os olhos.

Uma pequena centelha de percepção passou pelos olhos escuros dele. Alguma coisa estava errada. André tentou forçar a mente nublada – havia alguma coisa que eles precisavam conversar... alguém fora embora... ele descobrira... podiam ficar juntos...

- Mari, eu... – ele tentou uma segunda vez desde que tinham chegado ao apartamento.

Ela balançou a cabeça, antes de se colocar na ponta dos pés e voltar a beijá-lo, mergulhando qualquer possível menção de sanidade no esquecimento.

_______________________



Clique na capa para fazer o download da trilha sonora



Clique na capa para fazer o download da trilha sonora



A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog