9 de julho de 2010

Na sua estante: O mapa da mina





#018: O mapa da mina
---------------------------------------


- Isso realmente parece muito legal. – Beatriz concordou com a cabeça, os olhos ainda fixos sobre o mapa de RPG sobre a mesa, o qual tinha dado início a toda a conversa.

Desde que ela tinha sentado um dia para estudar com Luís – ainda nos primeiros meses de faculdade – eles tinham começado uma bela amizade (engraçado como ela sempre pensava em Casablanca quando tal expressão vinha à mente), mas ela nunca o tinha visto conversando tão livremente ou tão empolgado.

- Você poderia jogar com a gente. – Luís observou – Tenho certeza que você ia gostar. A gente se reúne aqui mesmo na faculdade, uma vez por mês. Na verdade...

- Eu não acho que eu poderia jogar com vocês assim, sem mais nem menos. Preferia assistir primeiro. Eu não tenho um pingo de noção de como jogar, nem saberia como criar um personagem assim, do nada...

- Não seria um problema. – ele deu de ombros – Você pode ser qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo. Eu já tentei vários personagens, é legal mesmo. Até hoje, meu único problema no jogo foi ser uma garota de forma convincente.

Era bom vê-lo daquela maneira, gesticulando, rindo e rabiscando coisas no papel a sua frente – provavelmente já imaginando que tipo de personagem ela gostaria de interpretar no jogo.

Bia piscou os olhos, desviando-os das mãos do rapaz para seu rosto, encarando-o com uma sombra de riso nos lábios ao processar a última frase que ele dissera.

Luís parou de rabiscar, encarando-a de volta.

- O que foi?

- Você já tentou ser uma garota?

Uma onda de rubor invadiu o rosto do rapaz.

- Bem, eu tentei uma maga certa vez, mas... não deu muito certo. Ela definitivamente não parecia uma garota.

- Talvez porque ela não tivesse os apetrechos necessários... ou estivessem sobrando apêndices... – Beatriz respondeu, pensativa.

Se possível, o rapaz ficou mais vermelho. Ou quase roxo. Beatriz desatou na gargalhada, dando um tapinha no ombro do amigo.

- Não se preocupe, Luís. Ao menos valeu a tentativa. Uma pena que não tenha sido convincente, porém. É mais do que se pode dizer de muita gente...


_______________________



Clique na capa para fazer o download da trilha sonora


A Coruja


____________________________________

 

Um comentário:

  1. Já ouvi ótimos comentários sobre o livro e sobre o filme.
    Estou anciosa para colocar os olhos nos dois e curtir também.

    Sua resenha ficou ótima.
    Bjokas.

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog