2 de abril de 2010

Na sua estante: gula





#008: Gula
---------------------------------------


- Bom dia!

A mulher ergueu os olhos das fichas de empréstimo que conferia, encontrando diante de si a face redonda e sorridente de sua habituée. Automaticamente, Penélope abriu um sorriso em resposta ao cumprimento da garota.

- Bom dia, Bia! O que faz por aqui a essa hora? – Penélope relanceou um olhar para o relógio sobre a porta – Você não deveria estar na aula?

- Eu já vou. Só passei por aqui rapidinho para ver se você aceita almoçar comigo mais tarde, antes do meu turno. – a menina abaixou a cabeça, sussurrando conspiratoriamente – Eu trouxe chocolate.

Penélope cruzou os braços sobre a mesa, arqueando a sobrancelha.

- Muito bem... Passe o chocolate para cá.

A outra rapidamente se aprumou, ao mesmo tempo em que arregalava os olhos, já quase fazendo bico.

- Mas...

- Eu estou confiscando seu chocolate até depois do almoço. Conhecendo-a como conheço, Beatriz, eu sei que você não resistirá a comer a sobremesa antes do prato principal.

Beatriz suspirou, enquanto tirava a mochila das costas, não demorando a entregar o pacote à bibliotecária.

Não era apenas um bombom. Claro que não. Mas também, conhecendo Beatriz há tanto tempo, era alguma surpresa que ela estivesse andando por aí não com uma, nem com duas, mas com três barras de chocolate?

- Eu juro que não sei para onde vai tanta comida. O que é você? Um saco sem fundo? – Penélope perguntou, recebendo a sacola, guardando-o na primeira gaveta de sua escrivaninha.

Beatriz apenas deu de ombros.

- Isso significa ao menos que você vai almoçar comigo?

- Você não tem ninguém da sua idade com quem você prefira almoçar? – a mais velha retrucou – Não que eu esteja reclamando, claro, sabe que eu adoro você, Bia, mas, às vezes, eu me preocupo, sabe?

Beatriz apenas deu de ombros.

- Eu gosto de conversar com você.

Não havia muito que Penélope pudesse dizer diante de uma resposta tão sincera. Assim, ela apenas sorriu, enquanto trancava a gaveta à chave.

- Muito bem... você quer me esperar no restaurante ou vem pra cá quando a aula terminar?

- Eu te encontro no restaurante. – Beatriz afirmou, já pendurando a mochila no ombro de novo – Até mais tarde, Penélope.

- Boa aula, Bia. – Penélope respondeu, acenando com a cabeça ligeiramente.


A Coruja


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Baseado em post MT anterior, só me resta dizer: Tremenda TPM, a da Bia! XD
    Quanto chocolate!!! =P



    FELIZ PÁSCOA!!!! (levemente atrasado, mas ignore este pequeno detalhe, por favor)

    ResponderExcluir
  2. Huahuhauhauhauahua...

    Na verdade, acho que com a Bia, não era TPM, não... é, simplesmente, a ração normal dela. Na TPM, a coisa piora...

    Huahuahua...

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog