11 de maio de 2009

Por Dentro da Cabeça da Autora: Como Comecei a Escrever

No mesmo ano em que passei no vestibular, comecei minha carreira como escritora de fics. Filando da página no fanfiction.net, descobri que fiz minha inscrição no site no dia 29 de janeiro de 2004, já vai lá mais de cinco anos.

Algumas pessoas já me perguntaram porque, em vez de escrever histórias originais, eu me interessei pelas fics. Se aceitam, façam uma pequena viagem ao tempo aqui comigo, sim?


Muito bem. Conheci o mundo das fanfics na minha época de fã da Sailormoon. Estava eu com minha conexão discada tão devagar quanto uma carrocinha, procurando imagens da série quando bati o olho numa página chamada Exodus Fanfiction. Na minha curiosidade infantil (eu deveria ter o quê... quatorze, quinze anos na época), comecei a ler vorazmente o universo paralelo criado pela equipe do Exodus.

De todos os animes que assisti na minha infância, Sailormoon era meu favorito. Não, não era por causa dos uniformes de marinheiro ou pelo jeito atrapalhado da heroína, ou mesmo por seu romance com Tuxedo Mask. Ou antes, era por todas essas coisas também.

Talvez vocês não conheçam muito sobre mitologia, então, permitam-me contar muito rapidamente a história de Selene e Endymion, para que então possamos passar aos assuntos mais importantes.

Selene era a deusa da lua na mitologia grega, irmã de Eos e Hélios. Antes que questionem a informação, Artemis veio a se ligar ao mito lunar em sua encarnação romana - Diana -; à época de Selene, ela era uma deusa da caça e da vida selvagem.

Um dia, em suas observações da terra, os olhos de Selene caíram sobre a figura de um pastor mortal, Endymion, por quem se apaixonou perdidamente, sendo correspondida.

O problema é que, enquanto ela era uma deusa e jamais envelheceria, Endymion era humano e estava fadado a envelhecer e morrer. Incapaz de deixá-lo, ela jogou um encanto sobre ele para que Endymion dormisse para sempre, mantendo sempre a mesma aparência.

Esse mito sempre fui um dos meus favoritos e serviu como base para a criação de Sailormoon. Explica-se assim porque esse era meu anime favorito. Passemos agora à história da Exodus.

Entre o anime e o mangá de SM existe uma diferença gritante em termos de profundidade da história. O anime suaviza muitas das arestas. O mangá é mais sombrio, mais trágico, um tom que me agradava mais. É justamente nesse tom mais sério que as histórias da Exodus bebiam.

Na verdade, algumas das histórias chegavam a um ambiente bem tétrico...

Foi isso que me fez me apaixonar pelo mundo das fanfics: a possibilidade de aproveitar um mundo; de reescrever ou complementar uma história, respeitando o caráter dos personagens por quem eu já tinha me apaixonado antes.

A possibilidade de completar as lacunas.

Então, quando passei no vestibular, pensei com meus botões: por que não? Eu tinha até agosto sem nada para fazer até que a faculdade começasse e muitas idéias na cachola. Já tinha escrito algumas histórias, mas elas só tinham passado pela crítica dos amigos e da mamãe coruja.

Eu estava curiosa, além de tudo. O que as pessoas que não me conheciam, que não tinham laços de amizade comigo e, portanto, não precisavam ser gentis, iriam achar do que eu escrevia? Será que eu realmente escrevia tão bem quanto achava que escrevia?

Não vou mentir, eu me orgulhava das minhas histórias. Ainda hoje me orgulho. Orgulho-me de todos os personagens que já nasceram em minha cabeça, incluindo aqueles que não apresentei a ninguém - nem mesmo à minhas betas.

Assim foi que entrei no FF... e mergulhei de cabeça nos personagens da Rowling... mais especificamente, os Marotos.

continua...

^ ^
(-v-)
((:::))
="="===
A Coruja


____________________________________

 

2 comentários:

  1. Oi!
    Aqui vou eu de novo deixar comentários... Essa postagem foi muito interessante, saber um pouco mais sobre a pessoa que escreve histórias tão fantásticas. Uma pergunta: Quantos personagens você tem ao todo?
    Eu sei, sou um pouco desinformada nesse aspecto, de todos os seus personagens eu só conheço a Mina. Tente responder se puder, se não tiver tempo eu entendo.
    Obrigada de qualquer jeito!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. ERRADO!
    Você contou apenas uma parte da história. A parte que lhe faz parecer intelectual.
    Você começou antes escrevendo histórias que envolviam seus amigos. Colocando-os em situações de constrangimento não só para com os envolvidos no grupo (by biblioteca), como também repassando as histórias a professores. Fechando assim com chave de ouro sua saga.

    Curiosidades: Ela sempre era a princesa indefesa.
    Foi chamada para estrelar o comercial de uma livraria - Princesinha da Nobel.
    Ela possuia a capacidade de berrar aos céus por seus personagens.
    Abraços,
    Hipnos

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog