30 de dezembro de 2017

O Livro dos Livros Perdidos: uma história das grandes obras que você nunca vai ler

Desde os 15 anos, quando descobriu que não havia sobrado nada das obras de Agathon — celebrado dramaturgo e amigo pessoal de Eurípides —, Stuart Kelly começou sua lista de livros perdidos. De Shakespeare a Sylvia Plath, de Homero a Hemingway, de Dante a Ezra Pound, grandes escritores produziram obras perdidas, incapazes de serem lidas. A história da literatura é também uma trajetória coberta de perdas. O LIVRO DOS LIVROS PERDIDOS é uma obra de resgate a essa memória. Em parte história detetivesca, em parte lição de história, em parte exposição, este é o primeiro guia para os “e se” da literatura que nunca foram. Com estilo que não permite abandonar a leitura, Stuart Kelly revela trabalhos desaparecidos de famosos, aplaudidos e notáveis, desde os tempos mais remotos até finais do século XX. Brilhante, irônico e singular, O LIVRO DOS LIVROS PERDIDOS conta fascinantes histórias reais por trás dos livros que só podem existir na nossa imaginação.
O Livro dos Livros Perdidos está já há algum tempo no meu radar: cruzei com ele em alguma lista de 'livros sobre livros' e o título imediatamente me chamou a atenção. À época, até cheguei a procurá-lo para comprar, mas ele estava esgotado e nem me toquei de ir atrás dele num sebo. Passam-se os anos e coisa de um mês atrás, ganho o bendito de presente da Angélica. Preciso dizer que comecei a ler quase imediatamente, saltando toda a fila de leituras que ainda tinha por fazer esse ano?

Stuart Kelly escreveu aqui uma interessante obra de referência sobre livros que desapareceram, nunca chegaram a ser terminados ou mesmo escritos. Começando da antiguidade até os dias de hoje, cada capítulo traz uma mini-biografia do autor indicado, sua importância no cânone (ou mesmo sua falta de importância em alguns casos...) e o contexto ou motivos para a perda da obra. Como bem diz a sinopse 'a história da literatura é também uma trajetória de perdas.

Embora passe das quatrocentas páginas, O Livro dos Livros Perdidos é uma leitura rápida, leve e fica a critério do leitor ir do começo ao fim, seguindo a ordem cronológica de autores; partir direto para os escritores que o interessam, ou simplesmente abrir a esmo e ver quem vai aparecer. Não há nada de particularmente novo ou difícil de encontrar numa pesquisa rápida ao google no que Kelly conta dos autores aqui selecionados, mas ter tudo junto num só lugar facilita e pode servir como base introdutória para pesquisas mais aprofundadas, caso você se interesse por algum dos personagens mais obscuros que ele lista no livro.

Aqui preciso ainda confessar que desde que vi a premissa do livro, foi-me impossível não pensar na Biblioteca do Sonhar, da série Sandman - um dos lugares ficcionais em que eu mais gostaria de me perder. Durante toda a minha leitura, só o que eu conseguia pensar era "Lucien certamente sabe onde encontrar esse título...".


Em resumo, uma leitura bem interessante e rápida, com capítulos curtos e diretos - uma boa pedida para aqueles dias em que você quer uma leitura mas nada que exija demais da sua concentração - e um bom livro de referência para ter na estante e consultar de acordo com a necessidade.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: O Livro dos Livros Perdidos
Autor: Stuart Kelly
Tradução: Ana Maria Mandim
Editora: Record
Ano: 2007

Onde Comprar

Amazon


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog