20 de dezembro de 2016

Conversas Sobre o Tempo: Uma Retrospectiva em Listas


2016 foi um ano tão complicado que até parar de escrever por um tempo tive de fazer, ou acabaria tendo um colapso nervoso. Não consegui terminar alguns dos projetos que me propus no Coruja; outros, porém, foram concluídos com louvor e renderam além de muita reflexão, novos amigos e leitores.

Começamos essa lista/retrospectiva falando de Harry Potter. Embora 2017 seja o marco dos vinte anos de publicação de A Pedra Filosofal, não se pode deixar de observar que esse foi o ano em que Rowling voltou com carga total à série, com lançamento de mais um livro e o início de um novo ciclo de histórias no cinema.

Cá no Coruja, comemoramos tal fato fazendo do universo de tia Jo o tema do aniversário do blog. Então que começamos o ano relendo todos os sete livros; aí em maio rolou o especial Lumos; em agosto, comentamos acerca da peça Harry Potter e a Criança Amaldiçoada e, no embalo da estréia de Animais Fantásticos e Onde Habitam, teve um artigo sobre como Hogwarts é mais do que só a casa de Gryffindor.

De março até agosto participamos do projeto #LendoSandman, capitaneado pela Raquel do Pipoca Musical. Retornar às páginas de Sandman foi uma alegria; há tempos que eu queria uma desculpa para reler a série e a leitura coletiva com todo o debate gerado em torno de cada arco foi a razão perfeita. O legal de reler a série já sabendo o que acontece a seguir é perceber que desde o início Gaiman vinha plantando os detalhes que tornariam tão épica a jornada de Lorde Morpheus, de sua libertação do cativeiro até seu sacrifício final; é perceber as referências e jogos de palavras que num primeiro momento não pareciam fazer assim tanto sentido.

Em janeiro deve começar uma segunda parte do projeto para debater os arcos extras que foram sendo acrescentados nos aniversários da obra: o plano é termos debates sobre Noites sem Fim, Overture e a edição compilada de Morte.

Outubro foi fechado para fazer referência ao dia das bruxas, com o projeto All Hallow’s Read, no qual pudemos tagarelar sobre Ray Bradbury, H. P. Lovecraft e, claro, Neil Gaiman.

Entre os projetos que começamos, não conseguimos terminar, mas ainda assim serviram a um propósito, estão o 1 Ano, 365 Contos e o National Novel Writing Month, mais conhecido como NaNoWriMo. Embora não tenha conseguido alcançar a meta das cinquenta mil palavras de um romance em novembro, definitivamente seguirei até terminar a história que comecei. Quanto ao projeto dos contos, quero tentar fazê-lo de novo, mas dessa vez sem a obrigação de escrever o diário todo dia - talvez dessa maneira, a coisa se torne menos cansativa.

Seja como for, o 1 Ano, 365 Contos rendeu a descoberta de autores clássicos que, por um motivo ou outro, ainda não tinha lido, mas que após esse primeiro contato, tornaram-se favoritos: Philip K. Dick e Connie Willis certamente vão aparecer de novo por aqui em 2017. E, caramba, precisamos continuar lendo contos do Ray Bradbury…

Esses foram todos os projetos com que me diverti esse ano, mas há várias outras resenhas, traduções e artigos que escrevi e que, embora algumas vezes tenham me dado certa dor de cabeça, certamente foram recompensadores. Elegi dez deles para compartilhar com vocês:

Os relatos autobiográficos de Saint-Exupéry, especialmente Terra dos Homens
As aventuras, animais empalhados e nonsense de Alucinadamente Feliz
Meu Autor, Meu Herói, artigo sobre motivos para ler e escrever fantasia
Os ensaios de Neil Gaiman em The View From the Cheap Seats
A tradução do discurso de Pratchett Porque Gandalf Nunca Casou
A discussão sobre a atualidade do clássico Fahrenheit 451
As questões sobre trauma e memória despertadas pela graphic novel Nimona
A iconografia medieval da danse macabre em Gaiman
A descoberta de Shakespeare na distopia Estação Onze
O ensaio sobre bruxas no especial de Halloween, Caldeirão, Vassoura e Chapéu Pontudo

Muitos dos meus artigos preferidos do que escrevi esse ano estão também na lista de posts mais acessados do blog em 2016, mas o primeiro lugar, que pegou até o Dé, que o escreveu, de surpresa, foi do Bode na Cozinha. Olha só o que vocês mais procuraram no Coruja ao longo do ano:

1. [Receita] Bolo de Caneca de Amêndoas e Cacau
2. [Tradução] Porque Gandalf Nunca Casou
3. [Resenha] O Mistério dos Sete Relógios, de Agatha Christie
4. [Resenha] A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison, de Enéias Tavares
5. [Resenha] Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, de J. K. Rowling
6. [Ensaio] As (outras) Casas de Hogwarts: uma defesa de lufanos, corvinais e sonserinos
7. [Vertigem] Oito Histórias Espaciais
8. [Tradução] Por que os Americanos têm Medo de Dragões?
9. [Resenha] Prelúdios e Noturnos, de Neil Gaiman
10. [Resenha] Pílulas Azuis, de Frederik Peeters

Não farei ainda retrospectiva das melhores leituras do ano porque ainda há tempo para mais leituras… Mas não tanto tempo assim para escrever…

Agora, a pergunta que não quer calar: o que vocês mais gostaram de ler por aqui nesse ano que já quase se encerra? O que querem ver continuar em 2017? Estou esperando as listas de vocês!


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog