16 de agosto de 2016

Para ler: O Mistério dos Sete Relógios

- Não queremos um relógio de boa qualidade — declarou Nancy.

- Basta que funcione uma vez, e chega — apoiou Helen.

- Não queremos um que seja sutil — reforçou Soquete. — Queremos apenas que toque bem forte.

- Nós queremos... — começou Bill, mas não conseguiu ir adiante porque Jimmy, que tinha o dom de examinar mecanismos, pôs finalmente o relógio a funcionar. Durante cinco minutos, a loja ficou insuportável com o barulho ensurdecedor de vários despertadores tocando ao mesmo tempo.
Um grupo de jovens hospedado na mansão Chimney, alugada por Lady Coote e Sir Oswald, magnata da indústria de aço, decide pregar uma peça em um de seus membros. Gerry, que tem o hábito de se levantar para o café extraordinariamente tarde, mesmo para os padrões relaxados de sua turma, tem se mostrado uma inconveniência para sua anfitriã e, por isso, eles decidem lhe dar uma lição.

Para tanto, plantam em seu quarto nada menos que oito despertadores bastante ruidosos. Todos esperam com ansiedade o susto que Gerry terá quando todos aqueles relógios tocarem juntos numa balbúrdia infernal. Mas não é isso que acontece ao amanhecer do dia.

Em vez de risos, uma morte: Gerry é descoberto pela manhã, vítima de uma aparente overdose de remédio para dormir. O que é meio estranho, considerando que o rapaz se gabava de dormir muito bem, podendo adormecer em qualquer lugar, a qualquer hora, com qualquer barulho.

Talvez tenha sido um acidente, uma coincidência estranha, uma triste ironia… não fosse o detalhe de que os relógios que tinham sido escondidos no quarto amanheceram enfileirados e um deles havia sumido.

Curiosidade e tédio fazem com que Lady Eileen Brent - mais conhecida como Bundle - comece a investigar o que realmente aconteceu, especialmente depois que outro dos membros do grupo morre num aparente acidente na estrada.

O Mistério dos Sete Relógios segue a mesma verve de O Segredo de Chimneys - e não apenas porque se passa no mesmo lugar e traz de volta alguns dos personagens que lá apareceram, mas porque, aqui, o crime é secundário para o entretenimento que o livro oferece.

O livro é uma grande mistura de gêneros e um jogo de referências: há sociedades secretas, clubes de reputação duvidosa, espionagem internacional, tudo isso embalado em típicas reuniões de campo da alta sociedade inglesa. Embora seja uma história sobre assassinato e traição, O Mistério dos Sete Relógios é um dos livros mais leves e bem humorados da tia Agatha. Consegui descobrir quem era o assassino rapidinho (algo que nunca faço!), mas isso não afetou nem um pouco minha diversão.

Nota:
(de 1 a 5, sendo: 1 – Não Gostei; 2 – Mais ou Menos; 3 – Gostei; 4 – Gostei muito; 5 – Excelente)

Ficha Bibliográfica

Título: O Mistério dos Sete Relógios
Autor: Agatha Christie
Tradução: Milton Persson
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2015

Onde Comprar

Amazon || Cultura || Saraiva


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog