20 de março de 2015

Meme do Autor || Dia 20: Qual a sua parte preferida e a que menos gosta de criar personagens?

Lulu: A que eu menos gosto é dar um nome. Batizar um personagem é sempre uma das minhas maiores dores de cabeça, porque envolve um bocado de pesquisa. Eu nunca quero pegar qualquer nome do nada – quero sempre que aquele nome tenha um significado.

Ísis: LoU-CA!! OK, na verdade, isso é o que grandes autores fazem, pelo visto, mas, “pelamorde”, né, Lu? Pelo menos pra UMA coisa facilite sua vida, mulher!

Dani: Acho que facilitar não existe no vocabulário dela! XDD

Lulu: Por outro lado, gosto de desenvolver a personalidade dos personagens. Gosto de pensar o que os faz se irritar e o que os acalma, o que eles gostam de ler (porque todos os meus personagens até hoje são grandes leitores, ainda que ele não apareçam lendo...), o que gostam de ouvir, o que gostam de comer... Gosto de pensar nos detalhes que podem nunca aparecer diretamente na história, mas que fazem aquele personagem ser quem é.

Ísis: Uhm, criar personagens é sempre divertido e não tenho nada que não goste de fazer. Se for pra escolher a parte mais difícil, seria escolher as falhas do personagem que o farão mais humano. Sempre tive dificuldades com isso, e é a segunda principal razão de eu não gostar (muito) das minhas histórias. (A primeira é que não tenho paciência para enrolar muito na descrição, e elas acabam saindo narrativas meio secas e rápidas...)

Dé: Dar nomes. Como a Lu, gosto de dar nomes que tenham algum significado, motivo, ou que simplesmente soem legal. Ou tudo junto. É mais complicado do que parece.

Dani: Desenhar um personagem novo é sempre um maldito desafio para mim. Ele sempre vem pronto na minha mente. Perfeito, com tudo como deve ser. Desde aparência até personalidade. Mas na hora de passar isso para o papel... É como se a mão tivesse vida própria e o bendito nunca ficasse exatamente como você quer. Às vezes ele até sai melhor do que eu imaginei e fico satisfeita. Mas às vezes leva dias, semanas ate eu conseguir ajeitar o infeliz e ele me agradar. Essa é com certeza a parte que menos gosto, de passar para o papel. Mas depois disso acho que gosto de todo o resto, pintar, finalizar...


Arquivado em

____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog