18 de março de 2015

Meme do Autor || Dia 18: Você faz roteiros das suas histórias?

Lulu: Sempre. Ou quase sempre, pelo menos (vide o caso de Ases). Mas meus roteiros não significam uma inflexibilidade – se for necessário, eu jogo meus esquemas para o alto e vou para onde a história quer que eu vá.

Esquemas, roteiros e listas (Dani: Maníaca por Listas), contudo, me ajudam a pensar no contexto da história, nos ambientes em que os personagens se inserem, nas consequências de suas ações, no perfil psicológico deles.

Quando eu estava me preparando para fazer vestibular, escrevi uma história de fantasia chamada Aliança. Era meu tributo pessoal a O Senhor dos Anéis (minha obsessão da época) e foram basicamente quinhentas páginas num caderno A4 de pura válvula de pressão – eu provavelmente teria sofrido um colapso nervoso com toda a pressão se não fosse por essa história. E este é um manuscrito que eu ainda tenho guardado por sinal. Talvez eu devesse me aventurar a tentar desvendar minha letra a lápis naquele caderno, antes que se apague tudo...

Mas, voltando à pergunta... Aliança se passava num mundo que foi todo mais ou menos criado por mim e por isso foi a história em que fiz o mais elaborado de todos os esquemas/roteiros com que trabalhei: eu tinha um inteiro fichário (esse se perdeu) com desenhos de mapas, figurinos recortados de revistas com pedaços de tecido pregados nas páginas para fazer a correlação de materiais e cuidadosos perfis psicológicos de cada um dos personagens.

Detalhista, perfeccionista e obcecada eu? Imagina...

Ísis: ...

Lu, você não existe mesmo... Tecidos?! Já vi muita coisa, mas, tecidos?! oO

“Nozes te amo mermo ansim”... (-___- ’) \ (^___^)

Ehr, comparada a essa doida, eu não faço roteiro nenhum. Normalmente só resumo a idéia principal e as cenas que já imaginei, até porque normalmente não faço histórias muito longas. Entretanto, quando se trata de histórias mais compridas (normalmente são escritas com a Lu), costumo fazê-los, sim. (Mas nada tão complexo que inclua até tecidos...)

Dé: Em geral, sim. Porém, normalmente são muito resumidos e por cima, em geral organizados por tópicos, descrevendo o rumo geral que a história irá tomar, sem definir nada de maneira concreta.

Dani: Acho que pra mim essa pergunta seria se eu faço rascunhos para os desenhos? XD Só às vezes... Muito às vezes mesmo. Eu não sou fã de rascunhos, costumo já ir direto para os finalmentes (¬____¬) e terminar de uma vez os desenhos. Só costumo usar rascunhos se as ideias forem complicadas e exigirem muitos elementos. Como os layouts do Coruja, por exemplo, que preciso pensar certinho onde colocarei cada coisa.


Arquivado em

____________________________________

 

4 comentários:

  1. Ei, sou Luiza, Lu também, e tenho acompanhado o blog a algum tempo. O meme do autor me fez amadurecer, no sentindo de enxergar meus textos como um leitor, e eu agradeço vocês por isso. Lulu, você é realmente fanática. Isso é divertido de ver (ler) nas suas postagens, e até nos seus textos (na conversa de vocês sobre o conto infantil de QCuC, Jesus, seu grau de comprometimento me deixa com vergonha dos meus rascunhos no bloco de notas do celular).
    E Ísis, sua sala de mapas me encanta. Eu tenho um sonho muito distante da realidade de viajar, mas você consegue me deixar feliz por... Empatia? Não sei, alguma coisa como isso.
    Dé (de André?), você é simplesmente hilário. Algumas receitas suas me lembram da minha avó me apresentando a cozinha, a fazer macarrão caseiro, molho de tomate, pudim, docê de leite, jaca, goiaba, cocada... Enfim, nostalgia define.
    Dani, por favor, faça um, um não, vários, livros infantis. Eu amo seu desenho, e a ingenuidade dele, e fiquei apaixonada pelo QCuC com as suas ilustrações tão competentes. Vocês meninas ficam falando tanto sobre algum projeto, que eu fico ansiosa pensando se seria aberto ao público.
    Então, eu sei que o comentário longo e sem lugar ficou deslocado, coitadinho, mas seu comprometimento em postar lá pras meia noite me deixou emocionada. Eu fico encantada com o como vocês levam isso a sério. Beijo, abraço, até mais ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza!

      Sim, é André. XD

      Primeiro: Muito obrigado. São comentários como o seu que pagam por tudo que fazemos aqui.

      Segundo: Foi justamente assim que peguei o gosto pela cozinha, com receitas da minha avó. Eu tento passar esse sentimento nas receitas, com meu toque pessoal. Que bom que consigo fazer isso! =D

      Muito obrigado, Luiza! =D

      Excluir
    2. Luiza, como o Dé mesmo disse... são comentários como os seus que fazem a gente ver que vale à pena todo o esforço que colocamos para que o Coruja seja como é. É um trabalho que fazemos com alegria, pensando nas reações de vocês. Seja sempre muito bem-vinda e não se preocupe com comentários 'longos' ou 'deslocados' - a gente adooooooora receber comentários assim ;)

      Excluir
    3. Realmente, muito obrigada, Luiza!!! ^-----^ Comentários assim são raros por aqui mas fazem com certeza tudo valer a pena! E tenho sim, muita vontade de fazer livros infantis, esse é um sonho que nunca vou desistir de perseguir...

      Muito obrigada!!!! *abraça, abraça*

      Excluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog