sábado, 31 de março de 2012

A Vertigem das Listas: Três Duelos de Tirar o Fôlego





Lu: Se Deus der bom tempo, esse negócio sai hoje... depois de muitos falsos começos – porque andei brigando com o tempo e o Dé ficou sem computador e meu pai que estamos às vésperas dessa coluna ir ao ar! – finalmente estamos aqui.

Dé: Que mês, não é? Ao menos pudemos atualizar bem em tempo de ir ao ar! Você poderia apresentar o tema deste mês, Lu?

quinta-feira, 29 de março de 2012

Projeto Pratchett: Feet of Clay



"Você é a favor das pessoas comuns?" perguntou Dragão suavemente.

"As pessoas comuns?" respondeu Vimes. "Eles não têm nada de especial. Eles não são diferentes dos ricos e poderosos a não ser pelo fato de que não têm dinheiro ou poder. Mas a lei deve estar lá para equilibrar um pouco as coisas. Então, suponho que eu tenho que estar do lado deles."


Terry Pratchett – Feet of Clay
A situação está crítica em Ankh-Morpork – mas, bem, quando não está, não é mesmo? Mês sim, mês não, a Guilda dos Alquimistas implode um inteiro quarteirão, invasores tentam conquistar a cidade (e acabam domesticados e devendo as calças no bar mais próximo), os magos da Universidade Invisível fazem um rasgo no tecido da realidade e alguém começa uma conspiração para tirar Lorde Vetinari do poder.

terça-feira, 27 de março de 2012

Clube do Livro (Março) - O Senhor das Moscas

- Porque as regras são a única coisa que temos!

Mas Jack estava gritando contra ele.

- Que as regras vão pro inferno! Somos fortes, nós caçamos! Se houver um bicho, nós o caçaremos! Vamos cercá-lo e bater, bater, bater!...
Esse mês foi da Tatá no Clube do Livro e ela elegeu por tema "livros polêmicos". Assim é que nos preparamos, indicamos, votamos e acabamos por ler O Senhor das Moscas, do nobel William Golding.

sábado, 24 de março de 2012

Do Gênesis ao Apocalipse: A Saga de Ramsés


Após termos assistido o começo do mundo e acompanhado o nascimento do primeiro herói e das primeiras cidades – o início da civilização ocidental – vamos hoje visitar o Império Egípcio e dar uma olhada na vida de um dos meus governantes/personagens históricos favoritos! Preparem-se e apertem os cintos, porque hoje vamos conhecer o grande Faraó do Baixo e Alto Egito, Ramsés II, o Grande.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Para ler: A Invenção de Hugo Cabret



Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas.

A sobrevivência de Hugo depende do anonimato:ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.

Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.

terça-feira, 20 de março de 2012

Para ler: As Aventuras de Sherlock Holmes



Para Sherlock Holmes, ela é sempre a mulher. Raras vezes o ouvi mencioná-la sob qualquer outro nome. A seus olhos, ela eclipsa e domina todo o sexo feminino. Não que ele sentisse por Irene Adler qualquer emoção do gênero do amor. Todas as emoções, e essa em particular, eram detestáveis à sua mente fria, precisa, mas admiravelmente equilibrada.

Arthur Conan Doyle – Um Escândalo na Boêmia
Quando vi essa nova edição da Zahar à venda - de bolso, com ilustrações originais dos tempos em que as histórias eram lançadas no The Strand e com uma capa dura de babar - não consegui resistir. Eu tinha de POSSUIR o bendito (mesmo já tendo uma edição antiga e surrada do mesmo título).

sábado, 17 de março de 2012

Para ler: A Study in Sherlock

"Then I'll keep an eye out for a case with a Doyle connection."

A stiff wind slashed Ronald's cheeks. He hunched his shoulders and looked nervously at his fog-shrouded, bog-infested surroundings.

"I'll think about it, but don't call me if the case involves a bloodthirsty beast and the moor."


Phillip Margolin e Jerry Margolin – The Adventure of the Purloined Paget
Fiquei sabendo dessa coletânea quando vi que Neil Gaiman tinha sido indicado ao prêmio Edgar de melhor conto pela participação nela. Ainda em crise de abstinência (estou providenciando a série com Jeremy Brett no papel do detetive e aí não terei mais problemas, porque, né, são uns quarenta episódios e até eu assistir tudo...) e sendo fã incondicional do Gaiman, rompi minha promessa de não comprar mais livros esse ano até terminar os que já estão por aqui e fiz a bendita encomenda.

Happy St. Patrick's Day



Uma desculpa para usar verde hoje (e tomar cerveja verde, aparentemente) ;) Feliz Dia de St. Patrick para vocês!

A Coruja

quinta-feira, 15 de março de 2012

'Em sua morada em R'lyeh, o extinto Cthulhu aguarda sonhando'

Eles adoravam, segundo disseram, os Magníficos Ancestrais que viveram muitas eras antes de existir qualquer homem, e que chegaram ao jovem mundo provindo do espaço. Esses Ancestrais agora estavam extintos, nas entranhas da terra e sob o mar; mas seus corpos mortos haviam contado em sonhos segredos aos primeiros homens, que formaram um culto que nunca se havia desvanecido. Aquele era o culto, e os prisioneiros disseram que ele sempre existira e sempre existiria, oculto em ermos distantes e locais sombrios espalhados por todo o mundo, até o momento em que o grande sacerdote Cthulhu se ergueria de sua tenebrosa moradia na portentosa cidade de R’lyeh sob as águas, submetendo mais uma vez a Terra ao seu domínio. Algum dia ele faria seu chamado, quando os astros estivessem alinhados, e o culto secreto estaria sempre aguardando para liberá-lo.

H. P. Lovecraft – O Chamado de Cthulhu
Você pára. Respira pesado, tentando se localizar em meio ao breu. Seu coração bate tão forte que você pode ouvir as pulsações como um latejar contínuo nos ouvidos. O terror o sufoca. A escuridão é uma benção. Ela o impede de ver aquilo que está logo atrás de você, mantendo sua sanidade. Ainda assim, você adivinha as formas monstruosas, gigantescas que o perseguem. Você sente o cheiro de mar mesclado com algo mais pungente – cheiro de antigo, cheiro do tempo.

Em sua morada em R’lyeh, o extinto Cthulhu aguarda sonhando.

terça-feira, 13 de março de 2012

Para ler: O Clube dos Suicidas



"Mal imaginam quão afortunado foi para os senhores o momento em que aceitaram minhas tortinhas de creme! Sou apenas uma unidade, mas uma unidade dentro de um exército. Conheço a porta da Morte; sou um dos íntimos, e posso introduzi-los sem cerimônia e sem escândalos."

Robert Louis Stevenson – O Clube dos Suicidas
Stevenson é um autor curioso – é difícil até decidir se mais interessante é sua obra ou sua própria história. Filho de engenheiro, doente desde criança, Stevenson pareceu primeiro condenado a uma morte precoce. Tendo sobrevivido à idade adulta (embora ainda doente), o pai quis que fosse engenheiro. Ele se formou em Direito, mas nunca atuou na área. Em vez disso, começou a escrever. Se apaixonou por uma mulher mais velha, que já tinha, inclusive, filhos, e – escândalo dos escândalos – casou-se com ela.

sábado, 10 de março de 2012

Coruja Gourmet - Bode Edition: Bolo de Nutella na caneca





Sabe, quando o mês virou eu não tinha a MENOR idéia do que iria postar aqui. Algumas opções me passaram pela cabeça, mas nenhuma delas me conveceu...

Eis que, chego em casa no domingo e o que vejo? Um potão de Creme de Avelã com Cacau!!! Não Nutella, mas Creme de Avelã com Cacau.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Projeto Pratchett: Maskerade



“Well, basically there are two sorts of opera,' said Nanny, who also had the true witch's ability to be confidently expert on the basis of no experience whatsoever. 'There's your heavy opera, where basically people sing foreign and it goes like "Oh oh oh, I am dyin', oh I am dyin', oh oh oh, that's what I'm doin'", and there's your light opera, where they sing in foreign and it basically goes "Beer! Beer! Beer! Beer! I like to drink lots of beer!", although sometimes they drink champagne instead. That's basically all of opera, reely.”

Terry Pratchett – Maskerade

terça-feira, 6 de março de 2012

Desafio Literário 2012: Março - Serial Killer || As Esganadas



Toda a ficção do Jô é feita de grandes personagens envolvidos em grandes tramas. Os tipos e a trama deste livro são especialmente engenhosos e através deles o autor nos dá um retrato saboroso do Rio de Janeiro no fim dos anos 1930 e começo do Estado Novo — o Rio das vedetes que davam e dos políticos que tomavam, das estrelas do rádio e das corridas de “baratinhas”. E nesse mundo em ebulição chega uma figura portuguesa, saída de um poema do Fernando Pessoa, para elucidar o estranho e terrível caso das gordas desaparecidas que… Mas não vou revelar mais nada. Um dos prazeres da literatura policial é ir acompanhando o desvendar de uma trama, levados de revelação a revelação por alguém com a fórmula exata para nos enlevar — e enredar. No caso do Jô, quem nos guia é um autor que já provou seu domínio do gênero, e que aqui se supera na perfeita dosagem de invenção, humor e erudição que nos prende desde a primeira página, desde a epígrafe. Prepare-se para ser enlevado e enredado, portanto. E prepare-se para outras sensações. Só posso dizer que a trama deixará você, ao mesmo tempo, horrorizado e com fome. E que depois da sua leitura os Pastéis de Santa Clara jamais significarão o mesmo.
O barroco é o exagero. O esplendor. A exuberância. A opulência. O pendor pelos detalhes. O fausto e o fastio. É o adjetivo. Nenhuma outra classe gramatical é mais barroca que um adjetivo. Desmedido, em seu estilo rococó, o barroco quase nos oprime em sua profusão de abundância. Na dose certa, no contexto certo, é um deleite de formas e cores – tão suculento quanto um pastel de nata, tão água-na-boca quanto um merengue, tão leve quanto um suspiro.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Dois Anos de 'Na sua estante'



Dois anos atrás, em cinco de março de 2010, era publicado aqui no Coruja o primeiro, primeiríssimo capítulo de Na sua estante - um folhetim semanal em formato pílula sem grandes pretensões... A idéia por trás da história é que as venturas e desventuras da turma que freqüentava uma biblioteca numa universidade qualquer fosse uma espécie de ‘exercício em situações cotidianas’.

sábado, 3 de março de 2012

Gazeta de Longbourn Apresenta: Me and Mr. Darcy



“Sounds incredible? Hell, it does. But perhaps we all need to believe something incredible once in a while.”
A Adriana me emprestou uma série de livros para resenhar para o Gazeta de Longbourn - o suficiente para durar o ano inteiro. Alguns já devolvi, outros tantos ainda falta ler e aos poucos vou riscando-os da minha sempre crescente lista de tarefas a fazer...

quinta-feira, 1 de março de 2012

Para ler: O Jovem Sherlock Holmes - Nuvem da Morte



Um lampejo de cor em meio às árvores chamou sua atenção: manchas vermelhas sobre um fundo branco. Sherlock chegou mais perto, pensando que se tratasse de um cogumelo gigante no chão, mas havia algo no formato daquilo que o incomodava. Parecia…

Uma nuvem de fumaça começou a desprender-se do objeto justamente quando Sherlock o reconheceu: o corpo retorcido de um homem caído no chão. A fumaça dissipou-se, levada pela brisa, mas não havia nenhum sinal de fogo. Por um momento Sherlock pensou que o homem estivesse deitado ali fumando um cachimbo, por algum motivo com o rosto envolto em um lenço branco de estampas vermelhas. Ao aproximar-se, contudo, percebeu que as manchas vermelhas não eram marcas em um cogumelo nem estampas em um lenço branco.


Andrew Lane – O Jovem Sherlock Holmes: Nuvem da Morte