31 de dezembro de 2012

Retrospectiva Literária 2012


Acho que esse já é bem o terceiro ano em que participo da Retrospectiva Literária do blog Pensamento Tangencial. Gosto um bocado da idéia, especialmente porque ela me leva a fazer um levantamento do que li ao longo do ano e perceber algumas coisas interessantes... e a reajustar cursos e impôr metas para o ano seguinte.

Por conta da falta de tempo - e também pelo fato de que a maior parte dos livros citados na minha lista já foram resenhados, não vou me estender muito nas respostas esse ano... mas estão todos os links das minhas opiniões abaixo, é só clicar neles para entender o porquê da escolha.

Então, sem mais delongas... vamos ao que interessa:

RETROSPECTIVA LITERÁRIA 2012

A aventura que me tirou o fôlego:
O Lado Mais Distante do Mundo, de Patrick O’Brien

O terror que me deixou sem dormir:
O Relato de Arthur Gordon Pym, de Edgar Allan Poe

O suspense mais eletrizante:
A Casa da Seda, de Anthony Horowitz

O romance que me fez suspirar:
Just Like Heaven, de Julia Quinn. Acho que dessa lista é o único que não tem ainda uma resenha. Curiosamente, foi um dos poucos livros de romance que li esse ano – 2012 teve muito mais livros técnicos e aventuras... e contos; acho que nunca li tantas antologias na vida...

Não é o melhor livro da Quinn, é bem mais tranqüilo em termos de reviravoltas de trama que outros dela; mas é fofo, e me deixou com um sorrisinho bobo quando terminei.

A saga que me conquistou:
Ficção de Polpa, da Não Editora (tô maluca para ler o resto da coleção...)

O clássico que me marcou:
O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

O livro que me fez refletir:
O Senhor das Moscas, de William Golding

O livro que me fez rir:
As Esganadas, de Jô Soares

O livro que me fez chorar:
A Invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick

O livro de fantasia que me encantou:
Contos de Lugares Distantes, de Shaun Tan

O livro que me decepcionou:
Death Comes to Pemberley, de P. D. James

O livro que me surpreendeu:
All Roads Lead to Jane Austen, de Amy Elizabeth Smith

A frase que não saiu da minha cabeça
“Numa toca no chão vivia um hobbit”

O(a) personagem do ano:
Sherlock Holmes

O casal perfeito:
Dresden e Susan nos livros de Jim Butcher (eu não sabia se arrancava cabelos ou jogava pompons com os dois em Death Masks...)

O(a) autor(a) revelação:
Ellis Peters de Um Gosto Mórbido por Ossos (quero ler mais livros dele!)

O melhor livro nacional:
Cira e o Velho, de Walter Tierno

O melhor livro que li em 2012:
Night Watch, de Terry Pratchett

Li em 2012 cento e quarenta e dois livros.

A minha meta literária para 2013 é:
Tentar terminar de ler o que tem ainda sem abrir na estante...


A Coruja


____________________________________

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog