27 de outubro de 2012

Meme Literário: Dia 27 – Cite um livro que você gostaria de ler mas que por algum motivo nunca leu.


Dia 27 – Cite um livro que você gostaria de ler mas que por algum motivo nunca leu. Por quê? (Pergunta feita no Meme de 2010. Se você participou na época, procure comparar as respostas.)

Lu: O Corcunda de Notre-Dame. Primeiro porque só quando estive na casa do Victor Hugo é que descobri que a história que eu conhecia de Quasímodo na versão Disney não tem nada a ver com a versão original. Pelo que vi dos quadros e li das legendas, a coisa toda é trágica e repleta de sangue.

Segundo porque novas edições têm saído, inclusive em versões de bolso e mais baratas. Até um tempo atrás, eu só conhecia versões caríssimas. E mesmo essas versões caríssimas estavam esgotadas à época em que estive à procura desse livro. O que provavelmente foi bom, porque à época em que eu estive à procura de Notre-Dame de Paris (que é o título no original), eu era muito nova para entender toda a extensão do que o Frollo podia fazer...

Na edição passada em falei de Os Irmãos Karamozov, que continua na minha lista de futuras leituras. Problema é que tenho livros demais e tempo de menos para ler...


Dani: A Divina Comédia, do Dante. Quero dizer, eu já li pedaços, mas nunca consegui ler inteiro. E eu tenho o bendito livro! Nem sei bem porque nunca o li, sempre acabo pegando outro antes e deixando ele para depois.

Dé: Drachenfeuer. Comprei o livro (alemão) quando estive em Berlim, mas até agora ele está na pilha com quase todos os outros livros que trouxe de lá...

Lu: E como exatamente é que isso se traduz???

Dé: “Fogo do Dragão”. Comprei porque estava custando cinco euros e tem um dragão na capa.

Dani: Quero ter aulas de alemão com o Dé!!! Ah, e de Francês com a Lu! Vocês são meus pais, têm a obrigação de me instruir para a vida!!!


Arquivado em

____________________________________

 

Um comentário:

  1. Acho que nada é como as versões da Disney né. Antes as histórias eram mesmo bem mais sombrias...e mais interessantes, sim, sem o felizes para sempre obrigatório. Também nunca li esse livro. :)

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog