29 de setembro de 2009

Bits and pieces - a quarta leva


Lulu é pessoa que tem passado umas dez horas por dia com fones enfiados no ouvido, tornando-se assim uma potencial candidata à futura surdez.

Mas, porém, contudo, o fato de ouvir música do momento que acordo ao momento que vou me deitar - exceto quando estou em aula - tem me inspirado bastante... nem que seja só para fazer montagens.

Sem maiores comentários sobre o assunto.


Pois, pois... Rafa foi a primeira a acertar o número mínimo dos meus excertos passados; eu passei um email para ela perguntando o que ela queria que eu escrevesse, mas até agora, ela não respondeu.

Mas a Cathy também acertou e como sou muito boazinha... Cathy, você também pode me pedir para escrever... qualquer coisa. Decida aí; quer um número específico da minha tabela com um determinado personagem, quer um artigo sobre o cisco no olho do vizinho... vocês decidem.

Para quem não se arriscou, as respostas para os posts passados eram - na ordem, claro - Mina (com o Isaac, Expresso... Cathy acertou em cheio); Thomas (de Ases); Kieran (com uma Mina maníaca grávida, ambos do Expresso); Lorelai (Expresso e essa estava na cara com a menção ao pombo...) e Christopher (com Lusmore, Expresso).

Hoje tenho mais uma leva para vocês, dessa vez, dez de uma sentada só.

Eu disse que a música me inspirava...

Quantos será que vocês acertam?


_________________________


20. SEPARAÇÃO

Ela observou a costa se afastando devagar, pensando por um instante em tudo aquilo que estava deixando para trás.

Tinha encontrado, nos últimos meses, coisas que considerara há muito perdidas: amizade, respeito, familiaridade... e, talvez...

Meneou a cabeça, como se tal ato pudesse espantar os pensamentos que se acumulavam, pensamentos com os quais ela não queria ter de duelar naquele momento.

Ela era o que era. Não podia mudar isso, da mesma forma como não podia mudar o passado. E, se isso a separava do resto do mundo, que fosse.

Ela se manteria à altura de sua herança.

33. SANGUE

Ela sentiu a primeira resistência quando a lâmina fez contato. Mas logo o fio da espada perpassou a carne, fazendo um barulho nauseante ao raspar no osso, e o homem caiu no chão, contorcendo-se de dor.

O sangue escorreu, uma poça rapidamente se formando aos seus pés, juntando-se àquele que gotejava de sua espada.

Nenhuma expressão de remorso ou preocupação quebrou a concentração de seu rosto. Para ela, aquele era apenas mais um degrau no caminho de sua vingança.

E ela não se importaria em sujar as mãos para alcançá-la.

37. PRIMAVERA

Ela deu um meio sorriso, observando o bailar das pétalas que se desprendiam com a brisa, acobertando os gramados da escola, nuvens de um delicado cor de rosa, cerejeiras em flor.

O irmão riu as suas costas.

- Você vai passar o dia olhando para as árvores?

Ela se voltou para ele, sorrindo também.

- Eu acho que nunca tinha me dado conta de como era bonito... Desculpe.

Ele balançou a cabeça.

- Não se desculpe. Eu estou feliz de ver você assim. De que, uma vez na vida, a coisas estejam onde deveriam estar.

Ela assentiu, caminhando até parar de frente para ele.

- Arigatou, oniisan. – ela agradeceu.

Ele apenas sorriu.

46. HORÓSCOPO

“Touro: O dia tende a tornar a sua rotina mais ágil e eficiente, favorecendo realizações e conquistas. O momento é de maior popularidade, e seria bom que não se mostrasse tão tímido. Siga ampliando a sua rede social ao longo da semana.”

Ele fechou o jornal, um meio sorriso maroto no rosto. Bem, seu horóscopo era bastante claro: ele não precisava se preocupar com os acontecimentos daquele dia. Tudo daria certo, ele seria o rei da festa – bem, isso era bastante lógico, afinal, ele era o noivo – e, certamente, não teria qualquer problemas com timidez.

O que o fez pensar em sua noiva. O que o horóscopo dela teria para aquele dia?

“Sagitário: Agora você poderá fazer um uso mais objetivo da sua intuição, encontrando soluções pertinentes e se aproximando das pessoas certas. Busque estimular a inspiração, que tende ao clímax amanhã.”

O homem soltou uma estrondosa gargalhada. Perfeito. Realmente perfeito... Ele agora já sabia qual seria o resultado da sua noite de núpcias.

- Qual é a graça?

Ele levantou os olhos do jornal, encontrando as figuras do irmão mais velho e do melhor amigo no umbral da porta. Sorrindo, ele meneou a cabeça.

- Lembre-me de mandar mais daquele saquê especial de otousan para o responsável pela coluna de astrologia do jornal. Ele está fazendo umas predições muito inspiradas sob o efeito disso.

- Você não presta...

- Eu sei. Kanpai!

68. FAMÍLIA

Ele observou cada uma das figuras sentadas à mesa atentamente, ainda que seu escrutínio não durasse mais que alguns segundos, demorando-se apenas ao voltar-se para o último casal, notando a forma como eles seguravam a mão um do outro, como se cada um fosse uma tábua de salvação para um náufrago.

Vai ficar tudo bem. Estamos todos juntos nisso. Somos uma família, afinal. Você não deve esquecer isso.

O rapaz levantou os olhos para ele então, brevemente. E assentiu minimamente.

Somos família.


70. PATERNIDADE

Ela o observou respirar fundo e, só por via das dúvidas, cruzou os dedos pelas costas.

- Muito bem... você pode sair com ele. – por um instante, ela sentiu vontade de dançar. Mas ele não tinha terminado ainda. – Com uma condição.

- Qualquer coisa. – ela respondeu prontamente e imediatamente se arrependeu ao ver o pai abrir o sorriso.

- Um de seus irmãos sempre deve estar com vocês. Sempre. E eu não estou falando da sua irmã. Ela não vale.

- Pai! – ela quase choramingou.

- Ei! – a voz da outra filha veio do fundo da sala – O senhor está querendo dizer que eu não sou confiável?

Ele colocou as mãos na cintura.

- Exatamente.

72. RAZÃO

Ele trincou os dentes ao perceber quem os esperava, voltando-se para o outro cavaleiro, que já desmontava ao seu lado.

- O que significa isso?

O loiro suspirou.

- Você poderia descer para que possamos conversar como adultos? Eu não queria estar aqui, tanto quanto vocês dois. – ele começou, sem maiores preâmbulos – Não me interesso pela sua tola rivalidade e, fossem outras as circunstâncias, eu sequer me daria ao trabalho de tomar conhecimento do novo drama em que vocês se meteram. Mas eu tenho em casa uma esposa extremamente grávida e extremamente hormonal que está se pondo louca com a atitude de vocês nesse inteiro debate; não me restaram alternativas além de fazer as vezes de voz da razão.

Os dois homens se encararam sem disfarçar seus óbvios sentimentos de aversão um pelo outro.

- E o que você vai fazer? Nos colocar para sentar e discutir nossas diferenças e depois nos abraçar para fazer as pazes?

- Sinceramente, vocês podem se explodir, por tudo o que me diz respeito. Mas Tristan e Megan não têm nada a ver com a sua vendetta, e transformá-los em Romeu e Julieta não fará bem a ninguém. Os dois são crianças, tudo o que querem da vida por agora é poder brincar juntos. Pode ser que mais tarde, eles não se suportem, pode ser que eles se casem; mas isso não é da conta de vocês. Eu não acho que proibirem os dois de se verem vá fazer algum efeito além de obrigá-los a desobedecer e se encontrar escondido. E sabe-se lá em que tipo de problemas eles poderão se envolver fazendo isso. Então, por favor, sejam razoáveis uma vez na vida, e ponham de lado essa competitividade asinina pelo bem dos seus filhos, da minha esposa e da minha sanidade.

84. FLORES

Só nesse instante ela percebeu o delicado ramo de flores sobre sua mesa – flores de pêssego.

Não havia, realmente, motivos para que ela se surpreendesse com o gesto. Durante anos ele a presenteara com aquelas flores, sempre naquele mesmo dia, sempre daquela mesma maneira, independente de sua aparente indiferença.

Ela acariciou ligeiramente as pétalas macias, agradecendo interiormente pela teimosia e insistência dele, traços que por muito tempo ela tinha abominado... mas que agora ela começava a apreciar.

90. CARROSSEL

A chuva respingava em suas pernas ao bater contra o asfalto. Apesar da cobertura do guarda-chuva, ela já estava quase que totalmente molhada devido a intensidade da tempestade.

Não se importava particularmente com isso. A verdade é que sua cabeça estava a milhas e milhas dali, envolvida nos planos que tinham pela frente, calculando os riscos e ganhos que teriam com a operação orquestrada pela Resistência.

Ela já tinha quase que completamente atravessado o quarteirão quando percebeu que estava diante do portão de um parque de diversões. Apesar da chuva, estava aberto e ela podia ver as luzes borradas e fracas dos brinquedos, pedaços de música enfrentando a tempestade para chegar até ela.

Um meio sorriso nostálgico tocou seus lábios quando os olhos esmeraldinos caíram sobre um velho carrossel. Aqui e ali, a tintura estava ligeiramente descascada e os cavalos e coches certamente já tinham visto dias melhores.

Mas a visão do brinquedo lhe preencheu o peito com um sentimento quente e confortável – algo que não sentia há muito.

Parada no meio da rua, alheia às pessoas apressadas que passavam ao seu redor, um frágil guarda-chuva como sua única proteção, ela se deixou envolver pelo sentimento que o carrossel lhe evocava, estranhamente contente pela primeira vez em muitos dias.

100. MURMÚRIO

Ela sentiu o rubor se espalhar por seu rosto, descendo até o pescoço, enquanto sentia a respiração quente dele contra sua orelha, à medida que ele inclinava o rosto em sua direção.

- Você realmente não sabe? – ele murmurou, nu ritmo cadenciado, quase lânguido.

Sem sequer ter consciência do que estava fazendo, ela balançou a cabeça de forma negativa, sentindo o cabelo dele fazer cócegas em seu pescoço, surpreendendo-se então em perceber o quão próximo ele estava.

Como se soubesse exatamente o que ela estava pensando, ele riu – baixinho, e tão perto que ela pode sentir o riso reverberar em sua pele. Ele então se aprumou, encarando-a com algo de maroto nos olhos claros.

- Creio que só me resta ensiná-la então. – ele respondeu.


A Coruja


____________________________________

 

3 comentários:

  1. 20 - otsu
    33 - kitty
    37 - touya e
    46 - haru (ao fim com touya e renji <- eh esse o nome do niisan de haru? oO)
    68 - NAO EH AMATERASU
    70 - Isaac para uma das filhas?
    72 - EXPRESSO, chute: Lusmore?
    84 - Setsuna (em relacao a Himura)
    90 - EXPRESSO, sei lá.
    100 - Isaac e Mina? nao sao muitos os personagens masculinos com olhos claros...

    ResponderExcluir
  2. Oi!!!
    Realmente, estou começando achar que preciso ler o amaterasu... a maioria de hoje foram deles... ¬¬
    'Horóscopo' e 'primavera' são do amaterasu... 'Família' é o Edward (acho),'Razão' é do Ases,
    'Carrossel' é a Meri? (lembrei dos olhos verdes, desculpa o chute...)
    Gostei das histórias de hoje... ficaram muito boas!
    Posso mesmo escolher o próximo tema? =D
    'Contos de fada', 'chuva', 'lua', 'melancolia' e 'noite' são os que eu gostaria de ver...
    Obrigada!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Quero saber quem são desta lista!!

    ResponderExcluir

Sobre

Livros, viagens, filosofia de botequim e causos da carochinha: o Coruja em Teto de Zinco Quente foi criado para ser um depósito de ideias, opiniões, debates e resmungos sobre a vida, o universo e tudo o mais.

Cadastre seu email e receba as atualizações do blog

facebook

Arquivo do blog